Destaques Geral Local Política

Por questões políticas, Firmino não libera iluminação na duplicação das BRs

Como aconteceu com a BR-316, a prefeitura de Teresina atrasa liberação de licenças para andamento das obras BR-343

Pode parecer inacreditável, mas é verdade. Obras de grande porte em Teresina estão sofrendo atrasos por questões político-partidárias, como ocorreu na duplicação da BR-316 e acontece agora com a duplicação da BR-343. Isso porque a prefeitura de Teresina vem atrasando a liberação de alguns procedimentos que são necessários para a continuação das obras, a exemplo da iluminação nesses trechos. O Governo do Estado vem requerendo há muito tempo essa iniciativa da Prefeitura, que faz de conta que não é com ela.

Para quem afirma que Teresina só avança por conta do PSDB, o prefeito Firmino Filho vem atirando no próprio pé. A cidade não é quintal de tucano, a cidade é do povo, como já dizia o antigo chefe do atual prefeito, professor Wall Ferraz. Mas o gestor atual se esqueceu dessa lição e prefere governar apenas para os seus, apenas para garantir sua obsessão pelo poder. Para o povo não interessa se a obra é da prefeitura, do governo do Estado ou do governo federal. O povo quer é retorno dos seus investimentos através dos impostos que paga, para a melhoria da sua qualidade de vida e da infraestrutura da cidade em que vive.

Agora por que essa resistência do prefeito Firmino Filho? É porque a obra é do governo do Estado, já que a prefeitura não faz. Só que para o Piauí se desenvolver, é preciso que sua capital caminhe na mesma direção, e não ao contrário. O problema é que Teresina vem sendo comandada há quase 40 anos por um mesmo grupo, o grupo tucano. E acham que somente eles como gestores podem fazer alguma coisa pela cidade e o seu povo.

Agora veja só. As obras de duplicação da BR-343 representam melhorias para o trânsito e mais desenvolvimento para o estado. O valor do investimento é de R$ 48 milhões, através do programa Pro Piauí, e a via está sendo adequada, duplicada e restaurada. Embora os serviços tenham sido paralisados por um período em razão da pandemia da Covid-19, os trabalhos foram retomados e as obras foram retomadas.

Os serviços correspondem a uma extensão de 9,67 quilômetros, que começa no fim da Avenida João XXIII (na Ladeira do Uruguai) e vai até 2 km após o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em direção ao município de Altos. De acordo com o diretor do DER (Departamento Estadual de Estradas de Rodagem), Castro Neto, dos nove quilômetros de extensão da duplicação, sete já estão prontos e agora a empresa trabalha na parte central da via para evitar os alagamentos comuns no período chuvoso.

“Esta é uma obra muito importante para nossa capital, Teresina, porque problema de tráfego, de congestionamento, e as nossas saídas da nossa cidade sofrem muito com isso. Então, a obra está em andamento, ao todo são 9 km de duplicação. O que está faltando é justamente essa região central, que é uma região alagadiça, com muito problema de água e está sendo feito um trabalho para dar passagem a esse volume de água”, explicou o diretor.

Agora, o problema se agrava ainda mais e a obra não avança mais porque a prefeitura fica atrasando a liberação das licenças necessárias para que os trabalhos possam se desenvolver naturalmente. Na BR-316, o problema foi o atraso de licenças ambientais para a realização da sua duplicação. Mas a população não pode mais ser prisioneira de gestores que acham que só eles podem fazer as coisas. Está aí o governo do Estado tentando fazer com que a cidade ganhe verdadeiramente o seu aval e reconhecimento como metrópole, mas a população vem sendo atropelada e se tornando refém da arrogância do gestor da cidade.

Redação