Destaques Geral Local Política

Wellington Dias inclui Segurança e Educação como serviços essenciais e pede inclusão das categorias no PNI

O governador Wellington Dias assinou, nesta terça-feira (30), um decreto que reconhece como essenciais as atividades desenvolvidas no âmbito da rede pública e das instituições privadas de ensino e as atividades desempenhadas pelos profissionais da segurança pública.

Também foi solicitada a inclusão das categorias no Programa Nacional de Imunização (PNI). Para isso, em nome do Consórcio Nordestes, foram enviados ofícios aos presidente da república, Jair Bolsonaro; ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; ao ministro da educação, Milton Ribeiro; e a Arnaldo Medeiras, secretário de vigilância em Saúde do ministério da Saúde.

De acordo com os ofícios, o Consórcio Nordeste apresenta pedido para que seja apreciado na Comissão Intergestores Tripartite a adoção de regramento nacional excepcional para que os profissionais da ativa da segurança e educação sejam incluídos na prioridade das prioridades, estabelecendo critérios de acordo com a disponibilidade de vacinas e regras do PIN.

Segundo Dias, as duas áreas prestam serviços essenciais. Com a vacinação, os profissionais da segurança que atuam em áreas de risco de contaminação ficarão protegidos e na área de educação a vacina permitirá a retomada segura das atividades. “Além de assinar o decreto, como coordenador do Consórcio Nordeste encaminhei à Comissão Intersetorial Tripartite o pedido para termos um critério definido. A análise está sendo feita para que se tenha uma regulamentação nacional”, afirmou o governador.

Para o comandante da Polícia Militar, coronel Lindomar Castiulho, os policiais devem ser considerados prioridades dentro da área da segurança. “São policiais que estão atuando diariamente, fiscalizando o cumprimento dos decretos do estado, auxiliando a vigilância sanitária, trabalhando nos hospitais e barreiras sanitárias. É uma missão que não pode ser feita de casa, portanto é de constante risco e é essencial a garantia da vacinação”, pontou.

“É importante essa garantia de que o setor educacional se encontre reconhecido pelo governo como prioritário, garantir que tão logo passe pelos grupos com comorbidades, a educação entre em vacinação. Temos um público muito grande tanto na educação básica quanto na superior, além dos estudantes. Só assim poderemos retomar o trabalho nas escolas com segurança”, disse o secretário de Educação, Ellen Gera.

Veja os documentos:

Oficio 016_2021_Min_Educacao
Oficio 017_2021

Redação