Destaques Geral Local Política

RACHA NO PDT – “PSDB só ganha eleição na base da compra de votos”, desabafa Dr. Pedrosa que oficializa apoio a Dr. Pessoa

Por decisão da direção nacional, estadual e municipal do Partido Democrático Trabalhista (PDT), os pedetistas de Teresina foram liberados para apoiar candidaturas a prefeito que estão postas na capital. Dr. Pedrosa, uma das figuras mais emblemáticas do partido no estado, confirmou para este portal Jogo do Poder que o seu grupo está junto na campanha de Dr. Pessoa (MDB) rumo ao Palácio da Cidade, enquanto outra ala da agremiação segue em apoio a Kleber Montezuma, do PSDB, partido que “só ganha eleição com compra de votos”.

Dr. Pedrosa gravou vídeo conclamando os trabalhadores a mudar esse cenário tucano em Teresina, que ao longo do tempo vem semeando promessas que não são cumpridas. “Nós apoiamos a candidatura para prefeito de Teresina do Dr. Pessoa. A partir de agora, a luta vai ser desigual, mas existe uma pessoa capaz de mudar essa desigualdade, e essa pessoa é você, trabalhador”, afirma no vídeo.

Na entrevista ao Jogo do Poder, Dr. Pedrosa, que lidera uma ala da legenda denominada “Resistência Trabalhista”, resumiu a história do partido em Teresina e no estado e lamentou que parte da agremiação tenha mergulhado em ondas que não condizem com a tradição democrática e trabalhista do PDT, preferindo agregar figuras que nada têm a ver com a essência do partido e, ao longo do tempo, por decisão de maioria, vem apoiando candidaturas que não combinam com os anos de luta da agremiação partidária, citando, como exemplo, o apoio aos tucanos na capital.

Dr. Pedrosa chegou a lançar seu nome como pré-candidato à prefeitura de Teresina, mas a maioria, na comissão municipal do partido, fincou pé em apoio à candidatura tucana, que tem Kleber Montezuma (PSDB) como candidato lançado pelo prefeito Firmino Filho, do mesmo partido. Ele ponderou, no entanto, que não rompeu com a decisão partidária. “A decisão foi tomada mediante acordo firmado entre as três instâncias do partido: nacional, estadual e municipal”. Com isso, decidiu não seguir a ala do partido que está com o prefeito Firmino Filho e Kleber Montezuma.

Compra de votos

Dr. Pedrosa desabafou: “Eu não sei o que se passa pela cabeça desse pessoal, particularmente do presidente nacional [Carlos Lupi], em continuar defendendo um grupo político [PSDB] que domina há 30 anos [prefeitura de Teresina] cheio de malversação, de mal feito, de corrupção e que só ganha eleição na base da compra de votos”.

De acordo com Dr. Pedrosa, é de domínio público a informação de que o prefeito Firmino Filho tem, contratados por ele mesmo, 3 mil pessoas para a compra votos. “Fui informado de que na prefeitura tem uma lista, tem uma quantidade de gente que recebe da prefeitura, são mais de 20 mil pessoas, as famosas lideranças dos bairros. Como é que não se ganha eleição ao longo do tempo fazendo isso? São especulações”, disse, mas são informações que, segundo ele, são passadas a ele por fontes “fidedignas”.

Fadiga de material

O pedetista lembrou do antigo PFL (Partido da Frente Liberal) para comparar com o que vive hoje o PSDB em Teresina: “fadiga de material”, termo da física que consiste em um sistema ou em uma estrutura que apodrece e termina caindo. Ele se recordou que na eleição municipal de 1994, o PFL vivia essa fadiga de material, “queimando o último cristão que tinha, que era o Átila [Átila Lira, hoje deputado federal pelo PSB]”.

Da mesma forma, segundo Dr. Pedrosa, o PSDB também vive esse fenômeno na capital, o da fadiga de material. “O poder, ao longo do tempo, além de criar vícios, ele corrompe, cristaliza posturas erradas (…). Esse propalado voto do PSDB não é voto popular, é voto comprado. Eu trabalhei na rede de saúde do município e sei como eles fazem, eles aparelham estruturas de poder, conselhos. Mas agora chegou o momento em que o povo está percebendo que não dá mais. E quando o povo não suporta mais, eles podem comprar o céu e a terra. Não vai ser fácil para o Dr. Pessoa, mas nós vamos ganhar”, concluiu.

Redação