Geral Local Política

Planejamento familiar e direitos reprodutivos são temas debatidos em oficina no Florescer Norte

Os debates sobre sexualidade e corpo feminino ainda são considerados tabus em nossa sociedade. Essa situação causa o pouco  acesso e conhecimento de mulheres acerca do assunto, elevando o índice de mulheres com doenças sexualmente transmissíveis e gravidez na adolescência.

Pensando nisso, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres  (SMPM) realizou nesta quarta-feira (17) uma roda de conversa com as mulheres do serviço florescer Norte sobre planejamento familiar, direitos reprodutivos femininos e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

Durante a palestra, a enfermeira Márcia Viana ressaltou a importância das mulheres conhecerem o próprio corpo para que possam se prevenir de forma adequada. Ainda na roda de conversa, foi ressaltado  como as ações  diminuem o risco de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada.

“As mulheres precisam conhecer o próprio corpo, se olhar, para entender a sua própria saúde”, destacou a enfermeira. “Com ações e incentivo a essas ações, é possível reduzir números de doenças que tanto afetam a vida do gênero feminino”, conclui.
A Secretária da SMPM, Karla Berger, reforça que o tabu sobre sexualidade feminina precisa ser quebrado para que mais mulheres tenham acesso à informações. Karla frisa que para isso, é importante a divulgação do conhecimento dos direitos reprodutivos e formas de contracepção.

“A mulher moderna está cada vez mais livre no que diz respeito à sexualidade, por isso, é necessário o debate sobre planejamento familiar”, declara Karla. “Direitos reprodutivos femininos e doenças  sexualmente transmissíveis sejam tratados com normalidade e de forma educativa e informativa”, frisa.

É o caso de Sâmia Letícia, participante ativa do Serviço Florescer há um ano, na unidade zona Norte. A mulher relata que conheceu o serviço por intermédio de amigas, e que o serviço tem sido de muita importância em sua vida, e principalmente, no seu processo de empoderamento como mulher.

“É sempre bom estar aqui, para que eu possa me tornar uma mulher forte e dar exemplo para meu filho”, reforça a mulher. “Ter vindo hoje aqui significa muito para mim, é parte da minha construção como uma mulher mais empoderada, aprendi muito com a palestra”, comenta.

 

Jogo do Poder

Fonte: SMPM