Destaques Geral Local Política

Dr. Pessoa vai ganhar a eleição em cima da “arrogância” e “truculência” tucana, diz Fábio Novo

Para o petista, toda a estratégia de campanha do PSDB foi montada para atirar no PT, pensando nas eleições de 2022. Segundo ele, os tucanos se esqueceram de discutir os problemas da cidade

O ex-candidato a prefeito de Teresina pelo PT, deputado estadual Fábio Novo, publicou artigo na imprensa neste sábado, 28, afirmando que o candidado do MDB, Dr. Pessoa, deve ser eleito neste domingo, 29, com uma “vitória estrondosa” sobre o PSDB, acabando com a hegemonia tucana de 4 décadas. Para o parlamentar, o prefeito Firmino Filho (PSDB), tutor da candidatura de Kleber Montezuma (PSDB), a despeito de ter feito dessa gestão a melhor entre as quatro em que foi gestou, errou ao apostar na arrogância, na truculência e nos ataques sistemáticos ao Partido dos Trabalhadores durante toda a campanha, e também por tentar montar palanque para as eleições gerais de 2022.

Sílvio Mendes

De acordo com Fábio Novo, outro erro do PSDB, principalmente de Firmino Filho, foi desprezar pesquisas pré-campanha que apontavam o ex-tucano e ex-prefeito de Teresina Sílvio Mendes (Progressistas) como o candidato mais competitivo, apostando no que o deputado chamou “preposto” Kleber Montezuma, com medo de perder luz própria se aceitasse a candidatura do ex-prefeito.

“Toda a estratégia foi montada pensando em 2022! A pré-campanha e toda a campanha foi atirando no PT! No segundo turno isso foi intensificado, mesmo o candidato sendo do MDB. Pessoa hoje está filiado a um partido da base governista, mas há dois anos foi candidato contra o próprio Wellington Dias. Esqueceram de bater no médico e mostrar seus pontos fracos! O candidato não é do PT! Insistiram na tese, novamente pensando em 2022! Esqueceram de discutir os problemas da cidade!”, disse Fábio Novo.

Para o ex-candidato, a tese de bater no PT contradiz o que o partido fez e faz para ajudar a gestão tucana na cidade. “No desespero chegaram a comparar obras inacabadas do PT, como se o PSDB tivesse lastro para tal! Em 34 anos de gestão tucana, muitas vezes o PT estendeu a mão para o PSDB, olvidando diferenças partidárias e pensando no bem comum, para concluir carcaças de 30 anos. Foi assim com o HUT, HU, Ponte Estaiada, alargamento da Av. Kenedy e Ponte JK. E se tivesse sido chamado, o PT também ajudaria a concluir a tão decantada galeria do Mocambinho”, disparou Fábio Novo.

Erros de gestão

O petista também lembrou dos erros de gestão que, para ele, também prejudicaram a campanha de Kleber Montezuma. “Firmino ao ousar com o sistema de transporte fez mal feito! Pecou ao importar um modelo de Curitiba fora da nossa realidade! Sem dialogar espremeu avenidas, retirando retornos e ônibus de circulação. O desenho do novo sistema proibiu estacionamentos e matou o comércio do Dirceu, São Joaquim e Miguel Rosa. Hoje a Integração é uma bomba relógio! Na drenagem até São Pedro perdeu a paciência! A uma semana do 1º turno, em pleno B-R-O-Bró, mandou uma chuva para refrescar nossa memória do quase nada feito! Na saúde, a prefeitura tem um débito com 80 mil teresinenses esperando por uma consulta ou cirurgia. E olha que na gestão do PT, mais uma vez a mão foi estendida. A partir da gestão Dilma, Teresina salta de 15 para 30 milhões/mês para gastar com consultas e cirurgias”, pontuou.

“Dr. Pessoa fez como médico o que a prefeitura não fez”

Sobre Dr. Pessoa, Fábio Novo lembrou: “O médico que será eleito amanhã acumulou musculatura eleitoral, sendo o SUS que a prefeitura não foi! Em seus 4 mandatos de vereador palmilhou os bairros, vilas e favelas consultando e operando! Contra ele pesa a acusação de ter recebido pelo SUS, mas ele fez! Pior é a prefeitura que passou a receber dobrado e não fez!”

“O PSDB perderá amanhã por não exercitar o diálogo! Perderá por não ter seguido a sinalização das pesquisas que apontava o médico Silvio Mendes como seu melhor quadro! Perderá para a forma arrogante e fechada de ser do Firmino! Perderá para a forma pitbull da esposa do prefeito que coagiu e ameaçou comissionados e terceirizados. Teresina cansou da arrogância! Firmino tinha consciência disso, mas apostava que seus feitos – melhores que as outras três gestões – somado a força da máquina, um exército de lideranças na folha da prefeitura e 300 candidatos a vereadores era a fórmula certa para ousar mais vez, apresentando agora não um candidato arrogante, mas de personalidade truculenta! Errou!”, finalizou Fábio Novo.

Redação