Destaques Geral Local Política

Pesquisa mostra que teresinenses não querem mais o modelo atual de gestão

Em pesquisa nacional, Teresina está incluída entre 15 de 25 capitais brasileiras onde a maioria da população quer mudanças de modelo de gestão a partir das eleições do próximo domingo, dia 15 de novembro. Os dados fazem parte da segunda rodada de pesquisas do Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope). Para especialista, preferência pela mudança amplia as chances de candidatos de oposição. É justamente isso que está causando desespero no ninho tucano em Teresina.

Como reflexo desse desespero, a coligação “O povo faz acontecer”, encabeçada pelo PSDB e formada por mais 8 partidos, ingressou com uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) contra o candidato do MDB na disputa pela prefeitura de Teresina, Dr. Pessoa e seu vice, Robert Rios Magalhães (PSB) sob a acusação de abuso de poder. Conforme o documento, Dr. Pessoa é acusado de troca de votos por consultas médicas. Essa investida ocorre porque o candidato da oposição é líder em todas as pesquisas de intenção de voto para prefeito de Teresina.

Conforme a denúncia, Dr. Pessoa seria titular da Associação Beneficente a favor da Vida e da Esperança, clínica localizada no bairro Lourival Parente, no qual o médico exerce suas funções. Segundo a acusação, o candidato estaria afirmando publicamente que realiza atendimentos gratuitos à população piauiense, o que não seria verdade, conforme a acusação impetrada pela chapa tucana.

Em nota, a coligação “Pra Cuidar da nossa gente”, que tem Dr. Pessoa como candidato, rebateu as acusações e afirmou que não há nenhum fundamento jurídico que possa prejudicar a candidatura do emedebista. “Ocorre que o candidato Dr. Pessoa é médico colaborador da Associação Beneficente a Favor da Vida e da Esperança, tendo realizado milhares de cirurgias gratuitas, especialmente em favor da população de baixa renda”, rebate a nota.

“Dr. Pessoa nunca recebeu nenhum valor da citada Associação beneficente e não serão ações judiciais, reflexo de desespero eleitoral, que farão Dr. Pessoa parar de fazer o bem e desenvolver a sua missão de médico”, acrescenta a nota da coligação de oposição.

E a coligação oposicionista joga um balde de água fria na coligação da situação, destacando que acredita que o registro de candidatura que deverá ser cassado pela Justiça é o do candidato do PSDB, Kleber Montezuma, por ter utilizado a empresa 3 Gen, que ele mesmo contratou enquanto gestor da Secretaria Municipal de Educação (Semec), para realização de possíveis atos de pré-campanha a seu favor.

“Ocorre que o candidato Kleber Montezuma, enquanto secretário de Educação do Município, contratou a empresa 3Gen duas vezes, por quase R$700 mil, por inexigibilidade, e esta realizou possíveis atos de pré-campanha a seu favor, motivo pelo qual o Ministério Público investiga o caso, tendo requerido à administração municipal a cópia integral de todo o processo de inexigibilidade e o pedido de cassação de seu registro de candidatura, conforme processo 0600817-07.2020.6.18.0001”, finaliza a nota.

A pesquisa que desespera os tucanos


Prefeito Firmino Filho e candidato Kleber Montezuma

A poucos dias da eleição, já é possível saber que a maioria da população das capitais, como Teresina, deseja mudanças. Dados tabulados pelo portal G1 a partir das pesquisas aplicadas pelo Ibope em 25 capitais mostram que em 15 delas o percentual dos eleitores que desejam mudanças é superior ao grupo dos que preferem continuar na mesma.

Apenas em São Luís (MA) não foi feita essa pergunta na segunda rodada de pesquisas Ibope. A pergunta feita pelo Ibope foi: “Pensando agora na maneira de administrar, o(a) sr(a) pessoalmente gostaria que fosse eleito para prefeito um candidato que”. E foram dadas as seguintes opções: “mudasse totalmente a administração do município”, “mantivesse só alguns programas, mas mudasse muita coisa”, “fizesse poucas mudanças e desse continuidade para muita coisa”, “desse total continuidade à administração”.

O alto percentual de eleitores que querem a mudança foi registrado em capitais do Nordeste, como Maceió, João Pessoa, Teresina, Recife, Fortaleza, Aracaju e Natal. No outro extremo, estão capitais que desejam continuidade das políticas da atual gestão, caso de Salvador (60%), Boa Vista (57%) e Florianópolis (56%), além de Curitiba e Belo Horizonte.

34 anos

Em Teresina, a população cansou de um modelo que perdura por 34 anos e travou o desenvolvimento da cidade e da sua gente, não atendendo mais nem sequer as necessidades básicas dos moradores, principalmente dos segmentos mais vulneráveis. Prova disso é que de acordo com o professor de ciência política da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Emerson Cervi, os dados refletem exatamente a má avaliação que a população faz das gestões que tentam se reeleger.

Essa relação, segundo o especialista, sugere que o desejo de mudança está associado a uma maior chance de eleição de candidatos de oposição. “Mas há outros aspectos que podem influenciar a escolha dos eleitores, como os candidatos que se apresentam como opção, no caso de prefeituras mal avaliadas”, afirma Emerson Cervi.

Teresina

A pesquisa mostrou que 64% da população teresinense quer muita mudança ou mudança total, e apenas 30% querem continuar na mesma. Teresina ocupa o 8º lugar no ranking das capitais brasileiras onde os moradores querem um novo modelo de gestão em substituição ao atual. Na capital do Piauí, o mesmo grupo, comandado pelos tucanos, administra a cidade há mais de três décadas.

O Ibope e o G1 também aproveitaram esse levantamento para divulgar a última rodada de pesquisa de intenção de voto nessas capitais para respaldar o desejo de mudança da população.

Em Teresina, a maioria das pessoas entrevistadas dá a liderança ao candidato de oposição Dr. Pessoa para prefeito da cidade nessas eleições 2020. Pela pesquisa estimulada, ele tem 37% das intenções de voto dos eleitores, enquanto 22% querem continuar com o grupo tucano, que tem Kleber Montezuma como candidato.


Dr. Pessoa, candidato a prefeito do MDB

Veja o percentual de cada candidato na pesquisa de intenção de voto do Ibope divulgada dia 30 de outubro:

Dr. Pessoa (MDB): 37%
Kleber Montezuma (PSDB): 22%
Fábio Abreu (PL): 12%
Fábio Novo (PT): 6%
Major Diego Melo (Patriota): 1%
Gessy Fonseca (PSC): 1%
Simone Pereira (PSD): 1%
Fábio Sérvio (PROS): 1%
Lucineide Barros (PSOL): 1%
Gervásio Santos (PSTU): 0%
Lourdes Melo (PCO): 0%
Mário Rogério (Cidadania): 0%
Pedro Laurentino (UP): 0%
Branco/ Nulo: 9%
Não sabe/ Não respondeu: 8%

Pessoa lidera também na pesquisa espontânea:

Dr Pessoa (MDB): 31%
Kleber Montezuma (PSDB): 20%
Fábio Abreu (PL): 9%
Fábio Novo (PT): 5%
Gessy Fonseca (PSC): 1%
Lucineide Barros (PSOL): 1%
Major Diego Melo (Patriota): 1%
Gervásio Santos (PSTU): 0%
Lourdes Melo (PCO): 0%
Simone Pereira (PSD): 0%
Fábio Sérvio (Pros): 0%
Outros: 1%
Branco ou nulo: 10%
Não sabem ou preferem não opinar: 20%

Dr. Pessoa sobe para mais de 40%

Depois dessa pesquisa do Ibope, divulgada no final do mês de outubro, outro estudo foi publicado no início de novembro pelo Instituto DataMax, cujos números já colocam Dr. Pessoa com 40,30% das intenções de voto, enquanto Kleber Montezuma (PSDB), candidato oficial do prefeito Firmino Filho (PSDB) e do senador Ciro Nogueira (PP), vem em segundo lugar, com 22,48%. Se consolidada a vitória no primeiro ou no segundo turno, Dr. Pessoa vai acabar com mais de três décadas do comando tucano em Teresina.

Computando somente os votos válidos, com eliminação de nulos e brancos, como apura o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na hora de contar os votos no dia da eleição, Dr. Pessoa amplia significativamente a vantagem, subindo para 46,70%, deixando Kleber Montezuma com apenas 26,07%, ou seja, 20% de diferença.

Na mesma pesquisa estimulada, o candidato Fábio Abreu aparece em terceiro lugar, com 9,89%, seguido de Fábio Novo, com 6,25%. Depois vem Gessy Fonseca, com 2,80%, seguida de Simone Pereira, com 1,59%; Major Diego, com 1,40%; Lourdes Melo, 0,47%; Lucineide Barros, também com 0,47%; Fábio Sérvio, com 0,28%; Pedro Laurentino, com 0,19%; Gervásio Santos, com 0,09% e Mário Rogério também com 0,09%.

Não sabem ou não opinaram somam 9,61% e os que disseram que anulariam o voto ou votariam em branco, 4,10%.

Na pesquisa espontânea do DataMax, quando não são apresentados nomes para os entrevistados, Dr. Pessoa é também líder absoluto, aparecendo com 31,81% como o mais lembrado pelos eleitores. Em segundo lugar, Kleber Montezuma, com 20,24%. Depois vem Fábio Abreu, com 7,31%; e Fábio Novo, com 5,41%.

Na espontânea, Gessy Fonseca aparece com 1,49%; Simone Pereira, com 0,93%; Major Diego, com 0,84%; Firmino Filho (PSDB), com 0,37%, mas não é candidato; Lucineide Barros, com 0,28%; Pedro Laurentino, com 0,19%, empatado Fábio Sérvio; Mário Rogério, com 0,09%; Ciro Nogueira (PP), que não é candidato; Lourdes Melo e Gervásio Santos, estão empatados com 0,09%. Não sabem e nem opinam somaram, 12,41%.

Redação