Geral Municipios Política

Servidores do CAPS III participam de ações como parte da campanha Setembro Amarelo

Dando continuidade as ações em alusão ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio e valorização da vida, a Rede de Atenção Psicossocial (RASP), juntamente com o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), desenvolveram nesta quarta-feira (8), atividades de terapia ocupacional com dinâmicas em grupo e técnicas de relaxamento para os servidores do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III). A ação teve como objetivo o acolhimento e a valorização dos servidores da área de saúde mental do município.

Luís Fernando, coordenador da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), falou sobre as atividades desenvolvidas durante o mês de setembro. “Já começamos o Setembro Amarelo realizado uma live com a presença da Secretaria Municipal de Saúde e dos coordenadores dos Centros de Atenção Psicossocial, que são os locais onde fazem todo o trabalho de prevenção ao suicídio, como também do cuidado com a mente, pois quem cuida da mente, cuida da vida. Nós estamos nesta primeira semana parando as nossas atividades para trabalhar com os profissionais da área da saúde mental, pois precisamos também de cuidados”, disse.

Dyener Moura, terapeuta ocupacional do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), explicou sobre a ação desenvolvida com os profissionais do CAPS III. “Como somos do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador, nós utilizamos algumas técnicas, como dinâmica, para que eles pudessem perceber como está o ambiente de trabalho. Nós trouxemos um momento de relaxamento e visualização, para que esse trabalhador possa se perceber no seu local de trabalho e saber como está o relacionamento com sua equipe. Eles estão aqui para cuidar do usuário, então nós trouxemos esse momento para que esses profissionais possam se sentir valorizados e acolhidos”, frisou.

A coordenadora do CEREST regional de Caxias, Elyda Nunes, ressaltou a importância de cuidar de quem cuida. “Viemos aqui com o intuito de cuidar dos trabalhadores do CAPS III, porque a nossa prerrogativa enquanto Política Nacional de Saúde do Trabalhador é cuidar do trabalhador, em especial os que estão na linha de frente. Nesse sentido a prerrogativa aqui é cuidar de quem cuida, assim a gente tem monitorado, visitado e acompanhado diversas situações, casos e problemas relacionados a saúde mental”, disse.

Ideni Martinelli, psicóloga do CAPS III, relatou a sua experiência de trabalho durante a pandemia e destacou a importância do cuidado com a saúde mental. “Desconectar é muito difícil quando você está com a mente muito acelerada. Durante a pandemia, houve uma demanda muito alta e essa carga veio para a gente, começamos a atender muito mais e nossa demanda consequentemente ampliou. As instituições de saúde mental começaram a receber uma sobrecarga”, contou.

Débora Pinheiro, coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS III), destacou a satisfação de participar das ações em relação a saúde mental do trabalhador. “Hoje nós tivemos uma atividade do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST). Devido a questão de estarmos em contato direto com problemas de outras pessoas, isso também nos adoece. Foi um momento de relaxamento com os servidores que estavam aqui, entre eles assistentes sociais, psicólogos, recepcionistas, agentes de farmácia, técnicos de enfermagem, enfermeiros, nutricionistas e todos estavam bastante envolvidos nessa atividade”, finalizou.

Jogo do Poder

Fonte: PMC