Destaques Geral Local

Seminário marca ações em prol da Segurança do Paciente no Piauí

No dia 17 de setembro é comemorado o Dia Mundial da Segurança do Paciente. Este ano, a Organização Mundial da Saúde (OMS) escolheu como tema para as celebrações da data o Cuidado Materno e Neonatal Seguro, com o slogan da campanha – Aja agora para um parto seguro e respeitoso!

No Piauí, o Governo do Estado por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI)/Diretoria de Vigilância Sanitária do Piauí (DIVISA), em parceria com as demais áreas da SESAPI e outros segmentos, vem há três anos realizando ações em adesão ao Dia Mundial, porém, desde 2013 o Estado executa ações para o desenvolvimento da cultura de segurança na rede hospitalar e Atenção Primária a Saúde (APS).

Para 2021, o Estado elaborou uma programação que se refere a continuidade de mobilizações em consonância com as diretrizes da OMS, MS, ANVISA, CONASS e SOBRASP com a temática: CUIDADO MATERNO E NEONATAL SEGURO e slogan utilizado pelo Estado: O Piauí em ação para o cuidado Materno e Neonatal Seguro. O público alvo das ações serão gestores e trabalhadores da Atenção Primária à Saúde (APS), Rede Hospitalar e Vigilância em Saúde.

Dentre as ações da programação, a DIVISA deu início nesta quarta-feira (08), ao IV Seminário sobre Segurança do Paciente: Cuidado Materno e Neonatal Seguro. Por conta da pandemia do Coronavírus, o evento está sendo realizado de modo virtual, durante os dias 08, 09 e 10 de setembro.

A abertura do evento contou com a presença do governador do Piauí, Wellington Dias, do secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, da promotora do MPPI, Karla Daniela Furtado, dos superintendentes da Saúde, Alderico Tavares e Hérlon Guimarães, da vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems-PI), Leopoldina Cipriano, do diretor da Maternidade Dona Evangelina Rosa, Francisco Macêdo e demais profissionais das áreas técnicas da SESAPI.

Na oportunidade, Wellington Dias parabenizou os técnicos que atuam na área do cuidado materno e neonatal em todo Piauí e destacou a importância da temática no Seminário e seus desafios. “Essa temática é provavelmente do ponto de vista humano, se a gente tivesse que escolher na saúde os desafios que temos, este é o primeiro. Nós estamos bastante empenhados para que a gente possa completar essa Rede, tanto relacionado aos cuidados materno, como também neonatal voltados para que se tenha maior segurança, mais humanização e o máximo de conhecimento técnico, de apoio, de estruturas adequadas, para que a gente possa vencer esse desafio de reduzir a mortalidade infantil e materna no Piauí.  Temos muita coisa pra avançar”.

De acordo com a Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente (REBRAENSP), as taxas de mortalidade perinatal, tanto materna como neonatal, são extremamente altas, e as causas, paradoxalmente, são em grande parte evitáveis. A pandemia da COVID-19, e suas repercussões para a continuidade dos serviços de atenção à saúde, agravou uma situação já inaceitável, e serviu de alerta para a urgência de uma mobilização mundial.

A Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER), referência estadual para o Método Canguru e a Estratégia Quali-neo, ambos programas do Ministério da Saúde, com ênfase na melhoria das práticas de assistência aos recém-nascidos de risco, mostra uma redução da mortalidade neonatal desde 2017, quando aderiu à Estratégia. A MDER é a maior maternidade do Nordeste em atendimento do SUS e a segunda maior do Brasil. 1/4 dos recém-nascidos atendidos são pré-termos, o que faz imprescindível uma assistência de qualidade baseada nas boas práticas.

“Nesses últimos anos temos tido essa discussão e focado de uma maneira muito especial, em ações do Piauí para proteger a maternidade e a infância. A luta tem que ser travada todos os dias, com condições a segurança do paciente, não somente em nossos hospitais, como também nos hospitais de Pequeno Porte”, destacou o secretário da Saúde, Florentino Neto.

Também fizeram pronunciamentos na abertura do IV Seminário sobre Segurança do Paciente: Cuidado Materno e Neonatal Seguro, a promotora do MPPI, Karla Daniela Furtado, os superintendentes da Saúde, Alderico Tavares e Hérlon Guimarães, a vice-presidente do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Piauí (Cosems-PI), Leopoldina Cipriano, o diretor da Maternidade Dona Evangelina Rosa, Francisco Macêdo, dentre outras lideranças.

Palestras

No primeiro dia de programação do Seminário, as palestras ocorreram com temáticas na Contextualização da Segurança do Paciente no Piauí (diretora da DIVISA, Tatiana Chaves),  Avanços e desafios dos hospitais na implantação da Segurança do Paciente (Joselma Maria Oliveira Silva – Diretora da DUDOH),  As peculiaridades da CCIH no serviço de obstetrícia em uma Unidade de Referência (Nayanna da Silva Oliveira de Melo – coordenadora da CCIH da MDER)  e as As peculiaridades do NSP no serviço de obstetrícia em uma Unidade de Referência (Cilene Delgado Crisóstomo – coordenadora do NSP da MDER).

Amanhã (09), o evento continua, a partir das 8:30. Confira a programação abaixo.

Jogo do Poder

Fonte: Sesapi