Destaques Geral Local Política

Em parceria com a Uespi, PPP Piauí inicia obras do Núcleo de Energias Renováveis

Já tiveram início as obras do Núcleo de Formação e Pesquisa em Energias Renováveis do Piauí (Nufperpi), da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), em parceria com o Programa de PPP Piauí. O núcleo contará com salas multiuso, onde serão desenvolvidos trabalhos teóricos, treinamentos, cursos de extensão e socialização de pesquisas. A intenção é que o trabalho com energias limpas não seja apenas dentro do espaço físico da Uespi, mas também com a produção de pesquisas e projetos de extensão em várias partes do interior do Piauí.

Para isso, haverá numa plataforma de estudo remoto, através da telessupervisão e telemedidas dos dados de usinas solares, parques eólicos e empreendimentos de mini ou microgeração. Essas informações serão disponibilizadas a partir de uma estrutura compacta de baixo custo. Além disso, o material produzido no Nufperpi também será socializado com escolas estaduais e instituições de ensino, como forma de democratizar os conhecimentos.

Com a implantação da PPP, as concessionárias deverão contratar profissionais para trabalhar nas miniusinas e a prioridade é que sejam residentes dos municípios piauienses. “Um dos princípios da superintendência é trabalhar com aspectos sociais voltados para comunidade, por isso a criação do Núcleo será uma grande oportunidade de desenvolver pesquisas que contribuam com a melhoria de vida dos piauienses, além de oferecer de qualificação em um setor de rápido desenvolvimento no estado, mas que ainda possui pouca mão de obra especializada”, comenta a superintendente de Parcerias e Concessões do Piauí, Viviane Moura.

De acordo com o coordenador do Nufperpi e professor da UESPI, Juan de Aguiar, o Piauí é um expoente no que diz respeito a produção de energia oriunda de fontes renováveis. “Este será espaço destinado para a formação e pesquisa voltado ao desenvolvimento do conhecimento científico tecnológico em energias renováveis no estado do Piauí, com caráter interdisciplinar. Isso é muito importante para a socialização de tecnologias que estão sendo implementadas no nosso estado, que hoje é produtor de energia limpa e referência nacional e internacional nesse segmento”, afirma.

A construção do Núcleo servirá para trocar expertises e experiências na área de energias limpas e renováveis, além fomentar uma conexão importante entre a academia, o poder público, o mercado e a sociedade. “Essa parceria vai possibilitar aos estudantes uma qualificação voltada para atender determinadas empresas que trabalham com o ramo, bem como a possibilidade de vínculos empregatícios, além do investimento em aparelhamento tecnológico, entre outros benefícios”, aponta o reitor da UESPI, professor Evandro Alberto.

Outra parceira importante no desenvolvimento do Núcleo é a Piauí Conectado. Além de oferecer estrutura para pesquisa e qualificação remota através da internet banda larga da PPP, a concessionária também está implantando junto a Uespi um Complexo de Telecomunicação (CTEL) que vai proporcionar aos alunos e demais participantes condições práticas de ensino, através de 10 cursos de extensão e demais atividades realizadas. O núcleo será estruturado com laboratórios práticos que também envolvem estudos em telecomunicações, práticas em redes e fibra óptica, por exemplo, ampliando a capacidade de capacitação técnica do espaço.

A PPP de Energias Limpas do Piauí

Estão sendo implantadas miniusinas de energia solar com capacidade de produção de 5Mw cada que irão abastecer os prédios da administração pública do Governo do Estado, resultando numa redução mensal de 23% nos gastos do Estado com energia para abastecer os órgãos públicos, além de uma economia de mais de R$ 10 milhões por ano no custo com energia elétrica. Três concessionárias de serviços públicos são responsáveis pela construção, operação, manutenção e gestão das miniusinas: a Energia Sustentável do Piauí, a Rio Poty e a GM Energia. A PPP prevê mais de R$ 150 milhões em investimentos e o contrato é de 25 anos.

Jogo do Poder

Fonte: Suparc