Destaques Geral Local Política

Deputados acionam TCE-PI para apurar responsabilidades da gestão tucana na crise do transporte público de Teresina

Diante da situação caótica em que se encontra o sistema de transporte público de Teresina, com greves sucessivas dos trabalhadores do sistema reclamando direitos não cumpridos pelo sindicato patronal das empresas de ônibus, com uma integração que não funciona e com os usuários a mercê da sorte, deputados da Assembleia Legislativa do Piauí acionaram o Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI) para a realização de inspeção no âmbito da Superintendência Municipal de Transportes Trânsito (Strans), órgão da prefeitura tucana na Capital, no sentido de se apurar responsabilidades.

Os deputados Francisco Costa (PT), Georgiano Neto (PSD), Elizângela Moura (PCdoB), Cícero Magalhães (PT), João de Deus (PT) e Coronel Carlos Augusto (PL) assinam abaixo-assinado aprovado em sessão virtual nesta quarta-feira (4) pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (MDB), para que o documento seja encaminhado à Presidência do TCE-PI, baseado no artigo 180 e seus incisos, do regimento interno do mesmo Tribunal, para que providencie a inspeção na Strans com a finalidade de apurar as causas e as responsabilidades pela crise na operação do Sistema de Transporte Público de Passageiros. A inércia da gestão tucana, sob o comando do prefeito Firmino Filho (PSDB), tem deixado milhares de pessoas impossibilitadas de se deslocarem em Teresina.

No mesmo documento, os parlamentares solicitam que sejam também inspecionados aspectos legais, de legitimidade e de economicidade do subsídio instituído pela Prefeitura de Teresina para custear as empresas operadoras do sistema de transporte da Capital. Isso porque os próprios empresários acusam o Município de não estar repassando esses subsídios para o sistema, o que impossibilitam, segundo empresários, de garantir o funcionamento adequado do sistema de transporte. E é justamente isso que pede o documento: apuração da existência de atrasos nos repasses financeiros para o Fundo Municipal de Transportes.

“A presente requisição se fundamenta e se justifica pela necessidade de superação da crise do sistema de transportes de Teresina que, na condição de Capital do Estado, concentra as atividades do poder público, que estão comprometidas pela ineficiência do transporte público”, finaliza o abaixo-assinado.

Nesse vai e vem de paralisação, um novo acordo foi firmado entre a prefeitura, o sindicato patronal e a entidade que representa os trabalhadores do sistema. Resta saber se o sistema vai voltar a funcionar na sua normalidade. Mas as investigações vão prosseguir, com uma fiscalização rigorosa para apurar as responsabilidades sobre a crise no transporte público da capital, que vem se arrastando por anos e tem contribuído, inclusive, para a perda de emprego de muitos teresinenses que dependem do sistema para o cumprimento de suas responsabilidades.

Redação