Geral Internacionais Política

Candidatura de Trump anuncia pedido de recontagem de votos no Wisconsin

A campanha do presidente Donald Trump, que busca a reeleição nos Estados Unidos, anunciou na tarde de hoje que pedirá recontagem de votos no Wisconsin, estado em que Joe Biden lidera a apuração com ligeira vantagem de votos. Até as 15h desta quarta-feira (4) hoje, 95% dos votos do estado haviam sido apurados, e o democrata tinha 49,57% contra 48,95% do candidato à reeleição.

ACOMPANHE A APURAÇÃO EM TEMPO REAL

“Há relatos de irregularidades em vários locais do Wisconsin, que alimentam dúvidas sobre a veracidade dos resultados”, diz comunicado divulgado pela campanha republicana. “O presidente está dentro do limite para solicitar uma recontagem, e assim o fará imediatamente.”

Como a diferença entre Biden e Trump é menor que um ponto percentual, o presidente pode pedir uma recontagem de votos.

Wisconsin é considerado um dos locais fundamentais na corrida presidencial. A possível vitória no estado daria a Joe Biden mais 10 pontos na apuração, que não soma votos brutos, mas sim delegados eleitorais de cada região. Até as 15h de hoje, a contagem indicava 238 a 213 para Biden. Vence a eleição aquele que chegar ao mínimo de 270 delegados.

Além do Wisconsin, nas últimas horas, a candidatura democrata também conseguiu uma virada em Michigan, outro estado central na disputa. Os dois integram a lista dos últimos sete estados que ainda não acabaram a apuração, junto com Nevada — outro local em que Biden lidera — e Alasca, Pensilvânia, Geórgia e Carolina do Norte — esses quatro com vantagem provisória de Trump.

Contestação começou na madrugada

Os questionamentos quanto à contagem dos votos tiveram início já na madrugada de hoje. Trump chegou a fazer um pronunciamento na Casa Branca e se autodeclarar vencedor das eleições, embora ainda não houvesse confirmação. Ele também disse que recorreria à Suprema Corte para interromper a contagem de votos.

“Não queremos que encontrem votos às 4 horas da manhã para acrescentar à lista”, afirmou, referindo-se aos votos enviados pelo correio. A campanha de Joe Biden reagiu, afirmando que as declarações do republicano são “ultrajantes e sem precedentes”.

Pela manhã, Trump voltou a levantar suspeitas de fraude — sem apresentar provas — sobre a contagem dos votos. Em mensagem publicada em uma rede social, o presidente classificou como “muito estranha” a forma como Biden tem avançado e que sua vantagem sobre o democrata começou a desaparecer “magicamente”.

“Na noite passada, eu vinha liderando, em muitos casos de forma sólida, em muitos estados-chave, quase todos governados e controlados pelos democratas. Então, um a um, [meus votos] começaram a desaparecer magicamente enquanto cédulas surpresa eram contadas. Muito estranho, e todas as pesquisas erraram completamente e historicamente”, escreveu Trump.

Last night I was leading, often solidly, in many key States, in almost all instances Democrat run & controlled. Then, one by one, they started to magically disappear as surprise ballot dumps were counted. VERY STRANGE, and the “pollsters” got it completely & historically wrong!

— Donald J. Trump (@realDonaldTrump) November 4, 2020

Pouco após a publicação, o Twitter colocou um alerta na publicação do republicando, dizendo que a mensagem contém dados “contestáveis” e que pode ter “informações incorretas”. (com UOL)

Redação