Destaques Geral Local Política

Wellington Dias: haverá 2º turno e não é hora de mudar estratégia na oposição

O governador do Piauí, Wellington Dias PT) acredita que haverá segundo turno nas eleições de prefeito em Teresina, mas não arrisca um palpite sobre quem serão os adversários nessa disputa. “O lado que foi trabalhado lá atrás era uma estratégia de levar a eleição para o segundo turno. Acho que ninguém tem dúvida. A tendência é esse objetivo ser alcançado. Agora é saber quem são os dois ou as duas que vão ocupar a vaga de segundo turno”, afirmou o petista nesta segunda-feira (26).

Segundo Wellington Dias, pelo momento que vivemos, a eleição se define agora nos próximos 15 dias. “Ainda tem muito eleitor indefinido. É real a chance. Quando somamos todos os votos da oposição, temos algo em torno de 60% dos eleitores já querendo votar na oposição. É real a possibilidade de vitória”, avaliou Wellington Dias.

Sobre a mudança de estratégica para barrar o eventual crescimento da candidatura do candidato da prefeitura de Teresina, Kleber Montezuma (PSDB), Wellington Dias lembra que quem trata da condução da estratégia da eleição são os partidos. “Confio na liderança dos partidos. De verdade só acho que nós só vamos voltar a trabalhar uma nova estratégia, se tiver um fato novo ou logo que terminar o primeiro turno”.

Sobre esse eventual crescimento de Kleber Montezuma, o governador se refere a uma pesquisa divulgada na noite de domingo (25), pelo portal GP1, dando conta de um possível empate técnico entre Dr. Pessoa, com 26,14% das intenções de voto para prefeito de Teresina, e Kleber Montezuma, com 23,11%, seguidos de Fábio Abreu (PL), com 12,92%, e Fábio Novo (PT), com 6,66%.

Em seguida, aparecem Major Diego (Patriotas), com 2,93%, Simone Pereira (PSD), com 1,92%, e Lucineide Barros (PSOL), com 1,41%. Fábio Sérvio (PROS), Gessy Fonseca (PSC), Mário Rogério (Cidadania), Pedro Laurentino (UP), Gervásio Santos (PSTU) e Lourdes Melo (PCO) aparecem com menos de 1% das intenções de voto, conforme os números do Instituto GP1.

Nova pesquisa deverá ser divulgada nas próximas horas por outro instituto.

Redação