Destaques Geral Municipios Política

Vice-governadora visita comunidades quilombolas em Paulistana

Os moradores das comunidades quilombolas do Chupeiro e São Martins, em Paulistana,a 483 km de Teresina, receberam na última quarta-feira a visita da Vice-governadora Regina Sousa. Ela conheceu projetos de apicultura e o de sisteminha que está gerando renda para as famílias. E recebeu demandas dos moradores como melhoria no abastecimento de água.

Na comunidade remanescente de quilombo Chupeiro moram 19 famílias e 13 foram beneficiadas com o projeto de Apicultura implantado pela Secretaria Estadual de Agricultura Familiar. Reconhecida como quilombola em 2004, o maior problema dos moradores é a falta de água. Os dois poços não são suficientes para abastecer as famílias segundo informou a presidente da Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Chupeiro, Maria Francisca da Silva.

“Mesmo com pouca água, estamos aqui com os canteiros de coentro e já vendemos a primeira produção. Então, chegando o poço, a gente faz mais canteiros no quintal de cada família e vende a produção excedente. Uma verdura limpa, sem veneno, que além de fornecer a alimentação, gera renda com a comercialização e com isso dá para o trabalhador comprar seu remédio, sua passagem para ir na cidade fazer consultas ou tratar de outra necessidade”, acrescenta Maria Francisca.

De acordo com a presidente da Associação, outro produto que está trazendo renda para as famílias é o mel. “Quem produz mel, produz dinheiro também. Então, aquilo que nós não conseguimos comer saindo da roça que plantamos, temos o dinheiro que arrecadamos com a venda do mel produzido aqui e vendido para a Casa Apis, em Picos, para comprar. Isso melhora a condição de vida”, disse. O Piauí é o maior exportador de mel orgânico do Brasil e 70% da produção é da agricultura familiar.

“A gente pode constatar que a água é a grande necessidade desse Estado e não é diferente nessas comunidades quilombolas. Quando eles pedem água é porque eles querem produzir mais. Se eles tiverem água, com um poço com profundidade para pegar água boa, não precisa de mais nada. É muito simples realizar esse sonho, o governo do Estado só não faz de imediato porque a burocracia atrapalha”, declarou Regina Sousa.

Outra comunidade quilombola visitada pela Vice-governadora foi São Martins em que vivem 104 famílias e 25 são beneficiadas com o projeto sisteminha que vem gerando renda com a produção de peixes, galinhas, porcos,ovos, verduras e frutas.

“Temos a grata surpresa na Comunidade São Martins e estamos aqui com os produtos produzidos há apenas um ano da implantação do projeto Sisteminha pela Emater-PI. Um investimento barato que já dá frutos. Hoje mesmo jantamos o peixe produzido aqui. É uma saída para a agricultura familiar, para a segurança alimentar. O Governo do Estado tem incentivado bastante esse modo de viver, dano o peixe e ensinando a pescar ao mesmo tempo”, disse a Vice-governadora.

Para Jucélia Carvalho, presidente da Comunidade quilombola Contento, a vinda do projeto foi muito positivo “porque é uma coisa que vale a pena para nós, um meio de renda. Hoje posso bater no peito e ter orgulho de ser apicultora, conseguimos comprar até moto e carro. Que as pessoas procurem executar os projetos que é muito bom”.

Milena Martins, do quilombo São Martins, também falou do impacto positivo que os projetos têm causado nas comunidades. De acordo com a quilombola “os benefícios são numerosos, temos cerca de 104 famílias e 25 dessas já entraram nos projetos que é uma inovação tecnológica em que poucos apostaram. Hoje, estamos todos tendo retorno. Já estamos promovendo a soberania alimentar.”

O Diretor-Geral da Emater-PI, Francisco Guedes, explica que o projeto Sisteminha é um sistema de produção integrada de alimentos, uma tecnologia desenvolvida pelo pesquisador da Embrapa-PI, Luis Carlos Guilherme, e busca integrar as ações. Uma pequena criação de peixe e os resíduos dessa criação serve de alimentos para as hortas de frutas e verduras e também com a produção de frango para corte, ovos e suínos. Inicialmente para a soberania alimentar das comunidades e sair da extrema pobreza para o empreendedorismo solidário.”

Segundo Regina Sousa, nos próximos sistemas implantados será incluída a água, com a perfuração dos poços. “O Governo entra para impulsionar a difusão dessa tecnologia, dessa inovações tecnológicas para beneficiar mais gente em mais comunidades”.

 

Em Paulistana a Vice-governadora se reuniu com representantes da Celta- Centro de Estudos Ligados a Técnicas Alternativas que está construindo as cisternas no município de Betânia, na Serra do Inácio. Das 150 previstas, 22 já foram com na concluídas e 24 em processo de finalização. Regina Sousa e a secretária estadual de Agricultura Familiar, Patrícia Vasconcelos discutiram com os representantes da ONG como agilizar a obra antes do início do período chuvoso.

Betânia do Piauí

No município, Regina Sousa acompanhada da secretária Patrícia Vasconcelos, do deputado estadual João de Deus e do prefeito Fábio Macedo se reuniram com os associados da Ascobetania- Associação dos Criadores de Ovinos e Caprinos do Município de Betânia do Piauí. Foi apresentado o projeto de instalação de um frigorífico que vai agilizar a comercialização da carne de bode e de carneiro.

Fonte: CCom