Destaques Geral Local Política

Semcaspi registra aumento de 160% de famílias cadastradas no Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), por meio do Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado, registou um aumento de 160% no número de famílias acolhedoras cadastradas, que têm interesse em acolher provisoriamente crianças e adolescentes, com idades entre 03 a 18 anos incompletos. Atualmente, sete famílias estão acolhendo em suas residências e oito crianças e/ou adolescentes estão recebendo o acolhimento, sendo uma família com dois acolhidos.

Os dados apontam que no início da pandemia da Covid-19, em março de 2020, o Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado possuía 10 famílias cadastradas, e em abril de 2021, este número aumentou para 26 famílias cadastradas.

Segundo Eliana Lago (foto acima), secretária da Semcaspi, este serviço, que completou cinco anos em abril, tem contribuído para que crianças e adolescentes possam se sentir acolhidos, até que estes sejam reintegrados à sua família de origem ou encaminhados para adoção.

“O Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado apresentou um aumento significativo durante a pandemia. Este serviço possibilita que famílias que têm interesse em acolher, recebam em suas residências provisoriamente criança e adolescentes, que por alguma razão judicial estão afastados dos seus pais. O que faz com que estas crianças e adolescentes sejam acolhidos em um ambiente mais saudável e recebam, durante este convívio com a família acolhedora: carinho, cuidados e atenção, com as devidas assistências para as estadias”, esclareceu a secretária.

Apesar da pandemia da Covid-19, que tem impedido o atendimento presencial em muitos seguimentos públicos e privados, o Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado tem conseguido atuar com os atendimentos às famílias interessadas em acolher crianças ou adolescentes, mesmo no formato virtual.


Lorena Batista, coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado (Foto: Ascom/Semcaspi)

Para Lorena Batista, coordenadora do Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado, o Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado tem conseguido atuar, mesmo no formato virtual, nos atendimentos às famílias interessadas em acolher crianças ou adolescentes, fazendo as devidas orientações, avaliações e o acompanhamento.

“Estamos dando seguimento a este Serviço de Acolhimento e conquistando resultados significativos. O atendimento tem sido feito respeitando as medidas de segurança de combate ao coronavírus. O primeiro contato com a família, que pretende acolher tem sido feito por telefone e as entrevistas são feitas por vídeo-chamadas. É assim que conhecemos a estrutura da residência, quem são os membros desta família e passamos a tomar conhecimento como se estrutura aquela família que pretende acolher”, pontuou.

ACOLHIMENTO ACOMPANHADO

Lorena Batista destaca que este acolhimento é feito seguindo todo um procedimento, que avalia e acompanha como está sendo realizada a estadia destas crianças e adolescentes no ambiente da família acolhedora.

“A nossa preocupação é minimizar os danos que aquela criança ou adolescente, que por alguma razão teve a guarda da família biológica retirada, já passaram. A família que se disponibiliza a acolher deverá seguir todos os requisitos e serão devidamente acompanhadas. Além de todo um acompanhamento psicológico, o Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado ainda ajuda a custear as despesas da criança ou do adolescente acolhido, durante o período em que este permanecer no convívio da família acolhedora”, ressaltou.

SAIBA COMO SE TORNAR FAMÍLIA ACOLHEDORA

O Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado consiste em acolher na residência crianças e adolescentes, que estejam afastados da convivência familiar por medida de proteção, recebendo um auxílio financeiro que varia de R$500 a R$ 750.

Para seguir todos os requisitos solicitados pelo Serviço de Acolhimento, a família deve, obrigatoriamente:

-residir na área de abrangência do Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado, em Teresina (PI);

– ter maioridade legal (21 anos de idade ou mais);

– ter disponibilidade;

-compreender os objetivos do Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado, isto é, a consciência da provisoriedade do acolhimento;

– não apresentar problemas psiquiátricos;

-não ser dependente de substâncias psicoativas;

– e não responder processo judicial.

Para mais informações, as famílias que têm interesse em se tornar uma família acolhedora, deve entrar em contato com o Serviço de Acolhimento Familiar Partilhando Cuidado, por meio do telefone: (86) 3224-1652 ou do perfil no Instagram @familiaacolhedora1. (PMT)

Jogo do Poder