Destaques Geral Local Política

Reverter imagem negativa de Bolsonaro é grande desafio dos Progressistas no Piauí para deslanchar pré-candidatura de Ciro Nogueira

Os progressistas do Piauí estão alardeando pela imprensa que a vinda do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), ao Piauí, nessa quinta-feira, 20 de maio, para inaugurar uma ponte estaiada entre Santa Filomena (PI) e Alto Parnaíba (MA), vai impulsionar a pré-candidatura de Ciro Nogueira, presidente nacional do PP, para o governo do Estado. Analisando a situação do presidente do Brasil no cenário nacional perante a opinião pública é difícil ver essa visita de forma tão positiva para as pretensões do senador.

Recentemente, Jair Bolsonaro esteve em Maceió, capital de Alagoas, para inaugurar um viaduto, que, segundo dizem, já teria sido inaugurado. E a receptividade ao presidente não foi das melhores. Mas, por aqui, o presidente estadual do PP, deputado estadual Júlio Arcoverde, afirma que as forças de oposição ao governo de Wellington Dias (PT) estão unidas em torno do nome de Ciro para o governo estadual. Resta saber se esse é o mesmo pensamento da opinião pública. Até mesmo considerando que diversas forças do próprio partido de Ciro estão firmes com o petista e ameaçando, inclusive, deixar a sigla para ingressarem em outra agremiação da base governista.

“O presidente vem realizar uma grande obra. Havia esse anseio da população e graças a Deus conseguimos realizar esse sonho. O presidente vem inaugurar como uma das grandes obras estruturantes do estado. O Ciro é nosso pré-candidato de oposição. Todas as forças de oposição estão se unindo. Estou impressionado com a repercussão que tivemos desde o lançamento da pré-candidatura do Ciro, principalmente, no interior do estado há esse grande sentimento de mudança. Claro que a presença do presidente da República, que vem aqui e se compromete com mais obras, vai reforçar a candidatura do nosso pré-candidato Ciro Nogueira”, avalia Júlio Arcoverde. Temos aí uma imensa vontade do deputado em transformar esse pensamento em realidade.

E se a candidatura de Ciro Nogueira ao governo do Estado depende mesmo do apoio da opinião pública nacional e piauiense a Jair Bolsonaro, vemos que a última pesquisa do DataFolha é como um banho de gelo nessa perspectiva. O governo do presidente do país tem a aprovação de apenas 24% dos brasileiros, a pior marca do mandato até aqui. O percentual dos que consideram a gestão ótima ou boa era de 30% em março, quando foi feito o levantamento anterior.

Os que rejeitam o governo, considerando-o ruim ou péssimo, eram 44% e são 45% na nova pesquisa, realizada entre terça-feira (11) e quarta (12), com 2.071 entrevistas presenciais em 146 municípios de todo o Brasil. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

A nova rodada do Datafolha mostrou também um caminho pedregoso para Bolsonaro em sua já anunciada tentativa de reeleição, em 2022. Segundo o instituto, 54% dizem que não votariam nele de jeito nenhum, e o ex-presidente Lula (PT), seu principal adversário, lidera a corrida para a Presidência. O petista alcança 41% das intenções de voto no primeiro turno, contra 23% de Bolsonaro.

Esse é o retrato do momento, que tende a piorar para Jair Bolsonaro a depender do avanço das investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vêm sendo realizadas no Senado Federal. Após duas semanas de CPI da Covid, o saldo é completamente negativo para o presidente Jair Bolsonaro, sobre sua atuação e atuação do seu governo no enfrentamento à pandemia, em que o Brasil acumula um saldo estarrecedor de mais de 400 mil mortes e de mais de 15,5 milhões de infectados pelo novo coronavírus. A CPI apura negligência do governo federal, considerando que o presidente é o principal negacionista da pandemia no seu próprio país.

Outra situação que pesa negativamente para candidatura de Ciro Nogueira ao Governo do Piauí nas eleições do próximo ano é justamente números dessa pesquisa, apontando que o presidente Jair Bolsonaro não tem capacidade de liderar o Brasil, segundo 58% dos brasileiros. É o maior percentual da série histórica desde que o instituto começou a fazer a pergunta, em abril de 2020.

No recorte geográfico, o diagnóstico de incapacidade atinge o maior patamar (65%) no Nordeste — região em que, segundo o Datafolha, concentra hoje a maior resistência a Bolsonaro e desaprovação do governo. E é justamente onde se encontra o povo do Piauí e onde Ciro Nogueira tenta deslanchar sua pré-candidatura ao governo estadual.

Ciro Nogueira tem então dois grandes desafios pela frente: mudar esse cenário no Piauí em relação ao seu presidente e reverter índices de rejeição que acumula entre os eleitores piauienses, principalmente na capital.

Jogo do Poder