Destaques Geral Local

“Quem apostar contra o Piauí vai perder”, alerta Rafael Fonteles

O secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles, rebateu fortemente o discurso do senador Ciro Nogueira, do PP, que havia dito, através de suas redes sociais, que o Piauí não poderia mais contrair empréstimos porque não teria mais como pagar as suas dívidas. Sem citar o senador, o secretário rebateu a declaração e avisou que aquele que apostar contra o Piauí vai perder.

Fonteles declarou que, na verdade, Wellington Dias vai fazer do seu quarto mandato o melhor governo da história do Piauí. Como coordenador do programa de investimento Pro Piauí, o secretário anunciou investimentos no estado da ordem de R$ 6 bilhões.

Para rechaçar o argumento do senador de que o Piauí não teria como honrar compromissos, Fonteles revelou que o Governo do Estado estuda a antecipação da tabela de pagamento dos servidores estaduais, a exemplo do que ocorreu com o 13° antecipado, neste mês de agosto.

“É verdade que nós tivemos muitas dificuldades em 2018 e 2019, mas o governador Wellington Dias foi corajoso, tomou medidas duras, fez o dever de casa, e hoje nós colhemos uma situação fiscal bem mais confortável do que tivemos em anos anteriores. Inclusive podendo, por exemplo, pela primeira vez na história do Piauí antecipar o pagamento do 13º salário, feito agora no último dia 14 de agosto”, reiterou, acrescentando a importância dessa decisão tanto para o servidor como para o Estado neste momento de retomada da economia.

“Nós mantemos a folha em dia. Agora, nós antecipamos salários e daqui a pouco vamos antecipar a tabela de pagamento normal, quem sabe até para o dia 30. Para todos até o dia 30 do mês, quem sabe a gente consiga isso. Estamos trabalhando com muita prudência para a gente atingir esse objetivo”, sinalizou Fonteles.

Para reforçar argumento contrário ao discurso do senador do PP, o secretário de Estado da Fazenda explicou que em 2017, ainda no governo de Michel Temer, o Estado do Piauí contratou R$ 600 milhões junto à Caixa Econômica Federal sem o aval da União. O gestor destacou que a Secretaria Nacional do Tesouro atestou em julho que o Estado do Piauí é o único das 27 unidades da Federação na condição de endividamento zero com a União. A liquidação da dívida com o Governo Federal irá abrir novas oportunidades de operações de crédito para investimentos no Piauí.

“Então, veja, isso não é nenhuma novidade. O Estado do Piauí pode e vai ter operações de crédito. Serão entregues R$ 6 bilhões em investimentos ao longo dos próximos três anos para o Estado do Piauí. Isso quem está assegurando é o gestor das finanças públicas do Estado, designado pelo governador Wellington Dias, para coordenador do Pro Piauí. Empréstimo com aval ou sem aval vai acontecer, como já aconteceu várias vezes”, esclareceu o secretário.

“Esse programa de investimentos públicos tem basicamente três grandes eixos: o eixo mais social, na área da educação, saúde, segurança e assistência social; nós também temos o eixo econômico, basicamente na infraestrutura envolvendo diversos órgãos do Estado; e na parte de atração de investimentos, seja na parceria público-privado ou atraindo indústrias para o Piauí”, frisou Fonteles.

“O Estado possui metade dos R$ 6 bilhões previstos em caixa. São mais de R$ 3 bilhões de recursos já assegurados e mais R$ 3 (bilhões) que irão vir ao longo dos próximos meses até o final de 2022″, acrescentou, em entrevista à TV Cidade Verde, nesta terça, 15.

Redação