Geral Local Política

Projetos de lei para instituição do programa Agente Ambiental Mirim e Dia Municipal de Combate ao Câncer de Mama são aprovados

A Câmara Municipal de Teresina aprovou, em 1ª votação, durante a sessão de quarta-feira (17), dois projetos de autoria do vereador Dudu Borges (PT). O primeiro propõe a implantação do programa Agente Ambiental Mirim e o outro a instituição do Dia Municipal de Combate ao Câncer de Mama.

O objetivo do Programa Agente Ambiental Mirim é promover, por meio de capacitação, atividades e ações sociais, a inclusão social e ambiental de jovens estudantes do ensino fundamental, mediante estímulo à participação cidadã e promoção da compreensão e conscientização da importância do meio ambiente na vida dos alunos e demais pessoas do seu convívio, formando uma concepção ampla e diversa sobre o meio ambiente e sua preservação.

Segundo Dudu, é necessário que as crianças criem consciência ambiental para que futuramente seja possível amenizar os impactos das mudanças climáticas. “Um dos graves problemas da sociedade hoje são relacionados às mudanças climáticas. Falta educação ambiental, por isso criamos esse projeto para que desde cedo os estudantes tenham formação ambiental e para que possamos ter amanhã uma geração mais consciente, que preze pelo equilíbrio. É dessa forma que conseguiremos diminuir os impactos no planeta”, disse o parlamentar.

Já o Dia Municipal de Combate ao Câncer deverá ser comemorado no dia 02 de outubro de cada ano, dentro das atividades do Outubro Rosa. Será um dia em que todas as entidades e órgãos voltados para o combate ao câncer de mama realizem ações, como entrega de fitas, lenços, cartilhas informativas, realização de palestras, debates, seminários, exames, consultas, testes e demais atividades que venham a detectar ou prevenir o câncer de mama.

De acordo com o vereador, as ações do poder público voltadas à prevenção da doença são necessárias e fazem a diferença na vida das mulheres. “A doença ainda mata muitas mulheres no nosso país, estado e cidade. A intenção é que os órgãos públicos possam difundir informações e fazer com que as mulheres possam cada vez mais fazer a prevenção correta, pois se diagnosticado com antecedência, as chances de cura são bem maiores. Mais uma vez as políticas de conscientização são a base para a melhoria da qualidade de vida de todos”, concluiu Dudu.

No Piauí, 66% das mulheres diagnosticadas com câncer de cama iniciam o tratamento antes dos três primeiros meses, como institui a Lei 12.732/2012, mas, os 34% restantes na maioria são de mulheres de baixa renda e de difícil acesso direto ao cumprimento dessa lei. Até agosto de 2020 já tinham sido confirmados 224 casos da doença no Piauí. Em 2019, 584 mulheres foram registradas com câncer de mama e 131 delas vieram a óbito. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) estimaram 590 casos da doença no Piauí para o biênio 2020/2021.

Jogo do Poder

Fonte: Ascom Parlamentar