Geral Municipios Política

Progere beneficia 596 famílias com recursos de mais de R$ 4 milhões

A Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), por meio do Programa de Geração de Emprego e Renda no Meio Rural (Progere II), tem apoiado empreendimentos produtivos nos Territórios de Desenvolvimento dos Cocais, Carnaubais e Entre Rios.

Os Planos de Investimento Produtivos (PIP) promovem ações que fortalecem as cadeias produtivas nas áreas de caprinovinocultura, cajucultura, apicultura, mandiocultura, quintais produtivos e artesanato. Uma ação que atende diretamente 596 famílias desses territórios, um investimento na ordem de R$ 4.278.118,99.

O superintendente do Desenvolvimento Rural da SAF, Francisco das Chagas Ribeiro, ressalta que a secretaria vai liberar, no fim de 2020, R$ 3,5 milhões para investimento em novos projetos do ProgereII, e esse valor, junto aos outros recursos liberados no início deste ano, da mesma ordem, que continuarão beneficiando vários projetos produtivos das principais cadeias produtivas desses territórios, e que vão continuar incrementando a renda das famílias, que portanto vão ter maior produção e maior condição de comercialização.

“Dentre todos, destaco dois projetos voltados para os indígenas, de Piripiri e de Lagoa do São Francisco, e também para comunidades quilombolas, em Esperantina e Piripiri, e ainda aqueles específicos para mulheres, como no caso de Cocal de Telha ,com o Projeto das Mulheres Guerreiras. Com essas ações, a SAF dá continuidade ao incentivo à comercialização, produção e geração de renda. Embora sejam os valores não tão altos, com recursos na faixa de 150 mil reais por projeto, mas percebemos um forte impacto na economia local, pois movimentam a mão de obra e a economia em cada uma destas comunidades, e o conjunto deles faz uma grande diferença na economia familiar desses municípios”, destacou o superintendente.

A diretora do Progere II, Janaína Mendes, ressalta que no mês de setembro foram liberados recursos de cinco projetos, sendo dois no Território Entre Rios, dois nos Cocais e um no Carnaubais, totalizando R$ 856.283,92 e atendendo diretamente 128 famílias. “A aplicação desse recurso tem como principal objetivo a melhoria da renda e qualidade de vida da população rural” afirma a gestora.

O projeto da Escola Família Agrícola (EFA) Cocais tem o valor total na ordem de R$321.600,51, com o investimento do Estado de R$251.700,51. A iniciativa tem como objetivo a construção de uma unidade de beneficiamento de frutas dos agricultores familiares, uma horta e uma sistema de avicultura em São João do Arraial. O propósito é repassar informações técnicas sobre produção e agregação de valor aos produtores rurais que já produzem ou pretendem produzir com consequente melhoria das condições de vida desses beneficiários e aumento da liberdade financeira da instituição escolar.

O deputado estadual Francisco Limma, integrante da Frente Parlamentar da Agricultura Familiar da Assembleia Legislativa do Piauí, que ajudou a implantar a Escola Família Agrícola e acompanha o desenvolvimento dela, destaca a importância da qualificação profissional na atualidade, citando que, com a formação e experiência, os alunos podem retornar às comunidades e passar a qualificar melhor as tecnologias de apoio à produção, gestão e comercialização e ao beneficiamento da produção agropecuária e das unidades de produção familiar.

“O projeto como um todo é muito importante para os territórios. A implantação desta agroindústria de polpa para as famílias que mantém alunos nas EFAs merece destaque, pois é importante tanto para gerar alimentos saudáveis, emprego e renda quanto para possibilitar a capacitação nestas áreas (avicultura, horticultura e a fruticultura). É um projeto promissor porque, além disso, permite o intercâmbio dos alunos dos Cocais, a qualificação desses jovens que atuarão em pouco tempo como profissionais na área rural, das famílias dos assentados, das comunidades rurais organizadas e de outros segmentos produtivos. Muito importante para o Piauí, especialmente para essas famílias que possuem uma renda baixa e que foram beneficiadas pelo programa”, frisou Limma.

“Estamos muito satisfeitos após recebermos a notificação sobre a liberação dos recursos, contemplando a associação da Escola Família Agrícola com este projeto do Progere. É de grande importância para todos, pois são duas grandes estruturas que vão ser construídas, uma indústria para a produção de polpa e um sistema de produção de hortaliças tecnificado, importante para todo o território, pois além de geração de renda para as famílias, irão servir de modo didático para o aprendizado dos alunos, oriundos de vários municípios do Território dos Cocais”, concluiu o presidente da Efa’s Cocais, Antônio Sousa.

O projeto da Associação dos Pequenos Produtores Rurais da Comunidade Almessegas (Apeca) do município de Pau D’árco, por exemplo, atende diretamente 26 famílias, e contempla o incremento na criação de ovinos, caprinos e galinhas e produção de hortas nos quintais.

Já em Miguel Alves, por meio da Associação Comunitária dos Trabalhadores de Tamanduá, 25 famílias são atendidas e o plano de investimento é de quintais agroecológicos com o plantio de milho, feijão, mandioca irrigada, pequenos aviários de galinhas caipiras e plantio de hortas.

Em Pedro II, 23 famílias são atendidas diretamente, por meio da Associação Municipal Bom Samaritano (AMBS) e o PIP é direcionado para a criação de galinhas caipiras, plantio de milho, mandioca e produção de ração alternativa.

No município de Campo Maior, em Santo Antônio, são 18 famílias beneficiadas e o plano é de criação de caprinos com centros de manejo, compra de matrizes, área de plantio de capim, palma dentre outros.

O presidente da Associação dos Agricultores do Assentamento Santa Luz, Bernardo Alves de Macedo, destaca que o Progere II vai beneficiar 22 famílias, 9 mulheres e 13 homens. Vamos comprar pequenos animais como caprinos e ovinos, 264 fêmeas e 15 reprodutores, ampliação de aprisco, aquisição de nova caixa da água de 15 mil litros para abastecer a comunidade, notebook e impressora para associação. “O projeto vai beneficiar muito o assentamento que já existe há 15 anos e certamente ajudará as famílias que vivem aqui a desenvolver a agricultura familiar não só do nosso município, mas de todo o nosso estado”, pontuou Bernardo.

O Progere II é fruto da parceria entre o Governo do Estado e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), por meio do Projeto Piauí Pilares do Crescimento e Inclusão Social, beneficiando até o momento 22 municípios com ações de fortalecimento da agricultura familiar e geração de renda e desenvolvimento rural sustentável.

Redação