Destaques Geral Local Política

Presidente da FMS alerta para falta de leitos em Teresina: “População precisa colaborar”

Em entrevista à imprensa nesta quinta-feira (25), o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, disse que não há mais condições de ampliar leitos em Teresina para atender pacientes com covid-19. Ele afirmou que a dificuldade está na oferta de oxigênio e que a Capital só possui estoque suficiente para a demanda que já está sendo assistida nos hospitais. Além da falta de oxigênio para reabertura de novos leitos, o presidente disse ainda que faltam insumos e profissionais especializados para o atendimento dos pacientes.

“Muitas vezes até temos o hospital para aumentar leitos, mas vai faltar oxigênio, kit de intubação e profissionais. Com isso, as dificuldades advêm e nós temos que usar o oxigênio que ainda temos da melhor forma possível”, declarou Gilberto Albuquerque.

O presidente da FMS informou ainda que a fila de espera por leitos de Covid na Capital hoje oscila entre 170 a 190 pessoas. Gilberto comentou ainda sobre os 49 óbitos que foram registrados nessa quarta-feira no Piauí. Segundo ele, os números surpreenderam as autoridades de saúde, uma vez que a média definida em fevereiro era de 38 mortes diárias no estado.

A diminuição dos números vai depender muito da colaboração da população. Nós ainda teremos 15 dias de piora do quadro, depois disso vamos entrar no platô (dobra da curva de casos) e só depois o número de casos deverá diminuir”, explicou. (Com GP1)

Redação