Geral Local manchetes Política

Preocupado em eleger seu candidato, Firmino gasta 6 vezes mais em publicidade do que em ações de enfrentamento à Covid-19

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), acaba de autorizar a liberação de R$ 1 milhão para gastos com publicidade institucional e apenas R$ 157 mil para ações de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, como atesta o Diário Oficial do Município, decreto 20.064, de 4 de setembro de 2020. O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm) reage e classifica como ilegal e insensível a atitude do gestor municipal.

De acordo com o sindicato, a imensa maioria dos servidores da saúde municipal não recebe insalubridade de 40%, como é de direito desses profissionais. A entidade acusa também a atual gestão da falta de equipamentos de proteção individual (EPIs) com a qualidade adequada para proteger a categoria que está na linha de frente de enfrentamento à Covid-19, expondo-se ao risco de contaminação. “Alguns, inclusive, já chegaram a óbito”, afirma o Sindserm.

O sindicato também revela que a prefeitura não vem pagando as gratificações devidas, inclusive já tendo comprovado isso com documentos e denunciado em outdoors espalhados pela cidade, com a cobertura da imprensa.

Veja o decreto

O presidente do Sindserm, Sinésio Soares, em entrevista a este portal Jogo do Poder, disse que desde o mês de abril, a entidade insiste com a FMS e a prefeitura para que sejam providenciados o pagamento das gratificações de insalubridade e os EPIs de boa qualidade para os profissionais de saúde que arriscam suas vidas diariamente para proteger a população da pandemia.

“O prefeito e o presidente da FMS [Manoel Moura Neto] não se dignam sequer a responder as correspondências do sindicato, porque certamente não têm argumentos. Fizemos três manifestações junto ao HUT (Hospital de Urgência de Teresina), ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e à Getrans (Gerência de Transportes da FMS). Estamos até reunindo testes positivos de Covid-19 dos profissionais para comprovar e sensibilizar a prefeitura sobre os direitos desses servidores. Em resposta, o que vemos é esta publicação do dia 4 de setembro, no Diário Oficial do Município, com Hum milhão de reais para publicidade e nenhuma iniciativa para valorizar os servidores”, declarou Sinésio Soares.

O Sindserm considera um abuso essa nova atitude do prefeito Firmino Filho e também uma demonstração de desespero, porque o pré-candidato a prefeito, Kleber Montezuma, ex-secretário de Educação do Município, por ele indicado, não consegue decolar para as eleições municipais deste ano. Mesmo depois do escândalo de superfaturamento em contratos da Fundação Municipal de Saúde (FMS), de acordo com o sindicato, Firmino não se furta em praticar mais uma imoralidade, que é a de autorizar volumes vultuosos de recursos em propaganda institucional na tentativa de enaltecer a sua gestão para beneficiar diretamente o seu pré-candidato a prefeito de Teresina.

De acordo com Sinésio Soares, a rejeição do pré-candidato do prefeito é muito grande, devido ao seu autoritarismo e envolvimento com denúncias de corrupção, algumas já comprovadas até mesmo pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado do Piauí).

Redação