Destaques Geral Local Política

Piauí teve crescimento em valor de produção agrícola e registrou mais de R$ 6 bilhões em 2020

A produção agrícola piauiense, da lavoura temporária e da permanente, gerou o valor de R$ 6,1 bilhões em 2020. Apesar de todos os 224 municípios do estado terem contribuído para o total da produção, cerca de 76,2% do montante foi gerado por apenas dez cidades. É o que revela a pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM) 2020, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada nesta quarta-feira (22).

Baixa Grande do Ribeiro, Uruçuí, Bom Jesus, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Currais, Gilbués, Monte Alegre do Piauí, Sebastião Leal e Palmeira do Piauí são os responsáveis por mais de três quartos do valor total obtido no estado. Juntos, esses municípios geraram R$ 4,6 bilhões com a produção agrícola em 2020. Quase toda essa quantia (99,8%) é proveniente do cultivo de grãos.

Em 2020, o valor da produção no Piauí foi 41,2% superior ao registrado em 2019. Isso porque fatores climáticos desfavoráveis impactaram a produção agrícola piauiense em 2019, atingindo principalmente a soja. Em 2018, o estado obteve R$ 4,5 bilhões com a agricultura, quantia que caiu para R$ 4,3 bilhões no ano seguinte. A redução foi de 4,8% no período. A queda foi superada pelo aumento cerca de dez vezes maior (41,2%) registrado em 2020.

“O valor da produção agrícola do Piauí é altamente dependente da produção de grãos, os quais têm uma cotação de preço nacional quase nivelada. Então, esta variação se dá, basicamente, em decorrência das diferenças do impacto do clima nas diferentes regiões do Brasil sobre as culturas de grãos”, explica o servidor da Supervisão de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí Flávio Cipriano. O servidor acrescenta que, em 2020, a produtividade agrícola piauiense foi considerada dentro da normalidade.

A quantia de R$ 6,1 bilhões gerada pelo Piauí representa 1,3% do total obtido com a produção agrícola brasileira, avaliada em R$ 470,5 bilhões em 2020. A proporção representa um crescimento de 0,1 ponto percentual em comparação à 2019, quando o Piauí teve participação de 1,2% no valor total do país.

Com o aumento de participação na produção nacional, o Piauí avançou da 15ª para a 14ª posição entre as demais Unidades da Federação. O estado que gerou maior valor foi o Mato Grosso, com quantia equivalente a 16,8% da produção brasileira. Pernambuco foi superado pelo Piauí em 2020, caindo para a 15ª colocação. A menor participação no montante foi do estado do Amapá, representando apenas 0,03% do total.

Área com plantio de soja expandiu 120% em dez anos no Piauí

De 2010 a 2020, a área com plantio de soja expandiu 120,9% no Piauí. Enquanto 343 mil hectares foram cultivados em 2010, cerca de 757 mil hectares foram registrados em 2020. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), obtidos por meio da pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM) 2020.

Nesse período, a quantidade produzida de soja aumentou 181,8%. O volume, que foi de 868 mil toneladas em 2010, atingiu a marca de 2,4 milhões de toneladas em 2020. A soja é o principal produto agrícola do Piauí: em 2020, ela foi responsável por mais da metade (56,6%) de todo o valor obtido com produtos da agricultura no estado.

Também aumentou a área com cultivo de milho nos últimos dez anos. O crescimento foi de 50,8%, sendo que a extensão passou de 310 mil hectares em 2010, para 467 mil em 2020. Já o volume produzido do grão teve crescimento de 542% no período. Em 2010, foram produzidas 342 mil toneladas de milho, tendo atingido a 2,1 milhões de toneladas em 2020. O milho gerou 26,4% do valor total da produção agrícola piauiense em 2020.

“O aumento da área de milho e soja se dá pela expansão da fronteira agrícola no Piauí, sendo as culturas mais rentáveis”, afirma o servidor da Supervisão de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí Flávio Cipriano. Ele acrescenta que “o grau anual de expansão varia de acordo com o resultado do ano anterior e da perspectiva futura para a venda dos produtos”.

Enquanto isso, a área de plantio de arroz reduziu 58,9% entre 2010 e 2020. Cerca de 132 mil hectares eram usados para o cultivo de arroz em 2010, restando apenas 54 mil hectares em 2020. A quantidade produzida também sofreu queda, de 8,1% no período. Enquanto 113 mil toneladas foram obtidas em 2010, o volume caiu para 103 mil em 2020. O arroz perdeu participação no valor gerado pela produção agrícola piauiense: em 2010, apenas a soja e o milho o superavam em valor, já em 2020, o valor da produção do arroz também foi superado pelo feijão, mandioca e cana-de-açúcar.

De acordo com Cipriano, a redução ocorre porque “antes da pandemia, o arroz estava com preço baixo em relação às outras culturas”, levando os produtores a cultivar o que trazia melhor retorno financeiro. “Muitos ainda plantavam arroz nas áreas novas que estavam em preparo do solo para receber soja no ano seguinte. Porém, surgiram variedades de soja que davam mais retorno do que o arroz, já no primeiro ano de uso da terra, então as áreas desta cultura caíram mais ainda”, ressalta o servidor.

Produção de uva cresce 400% no Piauí

No Piauí, a produção de uva teve crescimento expressivo em 2020. O estado produziu 120 toneladas da fruta, quantidade 400% superior às 24 toneladas obtidas em 2019. O município de São João do Piauí é o único responsável pela produção de uva no estado. Os dados são da pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM) 2020, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O aumento é justificado pelo “plantio de novas áreas na tentativa estabelecer a cultura na região semiárida. Como a área existente é pequena, qualquer oscilação representa um grande percentual”, esclarece o servidor da Supervisão de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí Flávio Cipriano.

A área colhida de uva quintuplicou entre 2019 e 2020, passando de apenas um hectare para cinco hectares. Já o valor obtido com o produto foi quatro vezes maior em 2020, na comparação com 2019. Enquanto a fruta gerou R$ 120 mil em 2019, a quantia chegou a R$ 552 mil em 2020.

Entre as frutas cultivadas em solo piauiense, a uva teve o maior crescimento de quantidade em 2020. Quase todas as frutas produzidas no Piauí tiveram crescimento entre 2019 e 2020, com exceção da goiaba e do maracujá, que tiveram queda de 17,7% e de 52%, respectivamente.

Situação oposta foi verificada em 2019, quando quase todas as frutas sofreram quedas de produção no Piauí, na comparação com o ano anterior. Entre 2018 e 2019, apenas a banana (25,1%), o mamão (36%) e o maracujá (160%) registraram crescimento.

De acordo com Cipriano, são poucos os produtores de frutas no Piauí. “Assim, qualquer estabelecimento que deixa de produzir gera um grande impacto relativo na produção estadual destas culturas”, pontua o servidor. Além disso, “poucos estabelecimentos aplicam o manejo ideal que a fruticultura precisa, tornando-a mais dependente dos fatores climáticos, mesmo as irrigadas”, acrescenta.

Em 2020, foram produzidas 159 mil toneladas de frutas no Piauí. A pesquisa do IBGE mostra que 116 municípios tiveram produção no estado, sendo que apenas cinco foram responsáveis por 52,9% do total. São eles: Guadalupe, Pajeú do Piauí, Canto do Buriti, Parnaíba e Barras. Juntas, essas cidades geraram 84 mil toneladas de frutas.

Cresce a produção de mandioca no Piauí

Desde 2016, a produção de mandioca segue em ritmo de crescimento no Piauí. O estado obteve 444 mil toneladas do produto em 2020, quantidade 119% superior à registrada em 2016, que foi de 202 mil toneladas. É o que mostra a pesquisa Produção Agrícola Municipal (PAM) 2020, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O produto sofreu quedas consecutivas no volume obtido entre 2010 e 2013. Houve recuperação entre 2014 e 2015, com nova redução em 2016. Desde então, a quantidade tem crescido a cada safra. “O melhor preço pago pelo produto estimulou muitos produtores a retornar a plantar esta cultura. Além de condições climáticas melhores após seguidos anos de perdas devido às secas”, comenta o servidor da Supervisão de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí Flávio Cipriano.

Em relação à quantidade produzida, a mandioca foi o quarto produto agrícola com maior participação na agricultura piauiense em 2020. Apenas a soja, o milho e a cana-de-açúcar superaram o volume de mandioca. O alimento também foi o quarto em termos de preço, tendo gerado R$ 130 milhões. Apenas a soja, o milho e o feijão registraram valores maiores.

Os municípios de Cocal, Caldeirão Grande do Piauí, Simões, Marcolândia, Luís Correia e Bom Princípio do Piauí são os seis principais produtores de mandioca no Piauí. Juntos, são responsáveis por 52,3% da quantidade total obtida no estado em 2020.

Jogo do Poder

Com informações IBGE