Destaques Geral Local Municipios Política

Piauí confirma quatro casos da variante Delta

O estado do Piauí registrou os primeiros casos de variante Delta em infectados pelo coronavírus. Os casos ocorreram no mês de outubro e não há registro de internações e óbitos entre os indivíduos. Entre os contaminados estão três pessoas de Teresina e um da cidade de Picos, com idades que vão de 21 a 58 anos. O Piauí foi o último estado do brasileiro a detectar casos da variante Delta.

“A Sesapi continua vigilante com a situação da pandemia no Piauí e quando percebemos qualquer alteração nas amostras de casos positivos enviamos para nosso laboratório de referência, para realização do sequenciamento genético. Desta vez foram detectados casos da variante Delta no estado, que era o único sem registros no país”, explica o superintendente de Atenção à Saúde e Municípios, Herlon Guimarães.

De acordo com o Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde – CIEVS, do Piauí, não há registro no Sistema de Notificações de Síndromes Respiratórias Agudas Graves, de internações ou óbitos desses pacientes, que foram contaminados pela variante Delta. O centro também já notificou os municípios onde os casos foram registrados.

As amostras foram sequenciada pela FioCruz no Rio de Janeiro e o resultado foi liberado na manha desta quarta-feira(15). Ao todo foram enviadas à fundação 95 amostras e destas apenas 28 possibilitaram o sequenciamento genético, que confirmou a variante Delta em quatro infectados pelo SARS-CoV-2. Os resultados indicaram a circulação de duas diferentes linhagens de SARS-CoV-2 no estado, a Gamma (P.1) e Delta (B.1.617.2).

O secretário de Saúde, Florentino Neto, diante dos resultados faz uma nova alerta à população e aos municípios para que intensifique a vacinação contra a Covid-19, pois esta é a principal arma para evitar o surgimento de novas variantes. “Precisamos continuar a imunizar ainda mais, para não termos novas variantes como a Delta, que já está no nosso estado, e a Ômicron, já registrada em alguns estados brasileiros”, destaca o secretário.

De acordo com o gestor, é importante que as pessoas que tomaram a primeira dose voltem para tomar a segunda e se for a sua vez de receber o reforço, não perder a oportunidade de tomar a dose suplementar para se proteger. “Importante ainda também mantermos os cuidados sanitários, que ajudam na prevenção da doença, como uso de máscara, uso de álcool e evitar aglomerações”, lembra Florentino Neto.

Fonte: Sesapi