Destaques Geral Local Política

Pesquisas sinalizam momento histórico de eleições em Teresina

Pesquisas locais e nacionais que estão sendo divulgadas por variados institutos, desde o fim de semana, sobre intenções de voto dos eleitores para o segundo turno das eleições no próximo domingo, 29, para a prefeitura de Teresina dão larga maioria ao candidato do MDB, Dr. Pessoa, sobre o seu oponente, Kleber Montezuma, do PSDB. Numa eleição considerada atípica tendo em vista a hegemonia do PSDB na capital há mais de três décadas, estamos vendo agora o partido tucano se utilizando de todos os recursos possíveis para tentar barrar essa onda oposicionista que tomou de conta da capital, que terá uma votação que poderá ser histórica no próximo domingo.

Até mesmo uma pesquisa encomendada pelo PSDB de Teresina ao Instituto Credibilidade, divulgada nesta segunda-feira (23), dá uma vantagem de praticamente 10 pontos percentuais a favor do candidato do MDB – 47,20% a 37,60%. E é o estudo encomendado pelo partido de Kleber Montezuma cujos números aproximam mais os dois candidatos. Já a pesquisa do Ibope, também divulgada nesta segunda-feira, dá uma vantagem de 25 pontos percentuais a favor de Dr. Pessoa – 55% a 30%. E de 65% a 35%, considerando somente os votos válidos, como contabiliza o Tribunal Regional Eleitoral na contagem final da votação.

Outra pesquisa, a do Instituto Amostragem, dá praticamente uma diferença de 20% na pesquisa estimulada – 54,62% a 34,75%; e 61,12% a 38,88% na intenção de votos válidos a favor do candidato do MDB. Já o Instituto Datamax vai mais além e dá uma diferença de mais de 35 pontos percentuais a favor de Dr. Pessoa – 60,91% a 25,47%, na estimulada. Somente contando os votos válidos, o placar fica 70,52% a 29,48%.

Sentindo o seu reinado em risco, o PSDB se abraça agora a todas as possibilidades no sentido de tentar reverter essa situação. Até mesmo os programas eleitorais na televisão estão sendo monitorados pelos tucanos na esperança de encontrar alguma irregularidade que possa macular a imagem do candidato do MDB. Um desses programas chegou a ser suspenso, está sub judice, porque o PSDB entrou na Justiça contestando a suposta ausência de legendas. A coligação do MDB responde que a Justiça foi, na verdade, induzida ao erro.

Enquanto isso, outra situação incomoda o Palácio da Cidade. É a chuva de adesões que vem recebendo o Dr. Pessoa nessa reta final do segundo turno. Até mesmo de antigos aliados do senador Ciro Nogueira (Progressistas), um dos grandes patrocinadores da campanha de Kleber Montezuma, e de Firmino Filho, prefeito de Teresina e tutor da candidatura tucana.


Dr. Pessoa ao lado vice, à direita, Robert Rios

O ex-candidato a prefeito nessas eleições, deputado estadual Fábio Novo, do PT, postou nas redes sociais, nesta segunda-feira, a sua opinião sobre a campanha política no segundo turno. Jornalista, ele avaliou as estratégias dos marqueteiros do PSDB, que apostaram no “terror” contra a população de Teresina ao repetir que Dr. Pessoa não vai mandar na prefeitura caso seja eleito prefeito.

“Os tucanos apostaram na estratégia do medo! Abraçaram a prefeitura, tentaram comparar seus feitos com o governo petista e vendeu a formação de um blocão. Em vão! A prefeitura não é acessível para os comuns e muito menos para as pessoas com deficiência. Nem rampa e elevador tem”, lembrou. “Falar em blocão é esquecer que Kleber foi quem mais juntou partidos, líderes e um exército de 300 candidatos a vereadores no 1° turno! É olvidar que o vice do Firmino é do MDB, indicado por Themistocles, que hoje é oposição! Quem tem Ciro, Freitas, Sílvio, Elmano? Montezuma!”, disse o candidato do PT, que ficou em quarto na disputa do primeiro turno das eleições de prefeito em Teresina. E o PT está agora com o Dr. Pessoa.


Fábio Novo

O vereador Jeová Alencar, do MDB, presidente da Câmara Municipal de Teresina e o que conseguiu o maior número votos para o Parlamento Municipal, disse que o resultado das pesquisa é o sentimento hoje de Teresina, um sentimento de mudança. No entanto, o vereador ressaltou que é preciso continuar trabalhando. “Nós temos os pés no chão, é preciso ainda muito trabalho, Dr. Pessoa tem uma saúde invejável, acorda cedo, dorme tarde, levando o seu nome, a sua mensagem a cada canto da cidade, temos uma semana ainda pra levar a mensagem de Dr. Pessoa a todas as casas dos teresinenses”, afirmou.


Jeová Alencar

Em relação às adesões que o candidato tem recebido, Jeová declarou que “toda liderança que quiser aderir ao Dr. Pessoa, que quiser ajudar a cidade será bem-vinda”.

Condenando o que queria

Os tucanos agora estão condenando essas adesões, esquecendo-se de que foram os primeiros a procurá-las ao fim do primeiro turno. A empresária Gessy Fonseca, que foi a terceira mais votada no primeiro turno, disse que o grupo do PSDB a procurou horas depois do desfecho da contagem dos votos no primeiro turno, mas ela havia dito que essa decisão tinha que ser tomada em conjunto com os membros do seu partido, para escolherem o melhor caminho. E a melhor opção para o PSC e para a ex-candidata foi o Dr. Pessoa. A também ex-candidata a prefeita Simone Pereira, junto com todo o seu partido, o PSD, do deputado federal Júlio César e do deputado estadual Georgiano Neto, além de vereadores e suplentes da sigla, também decidiram ficar com o candidato do MDB.


Dr. Pessoa ao lado de Gessy Fonseca e Simone Pereira

Da mesma forma, os tucanos procuraram outras siglas que tiveram candidatos próprios no primeiro turno, a exemplo do PL do ex-candidato Fábio Abreu. Inclusive ele deu uma entrevista para a imprensa de que fora oferecido pelo senador Ciro Nogueira todo o apoio para uma candidatura ao senado no próximo pleito. Mas o liberal não aceitou e disse que trabalha com a possibilidade de se candidatar à reeleição para deputado federal.


Deputado federal Fábio Abreu

O PSDB usa agora como estratégia condenar as adesões ao adversário dos partidos e lideranças políticas que a sigla tucana procurou ao fim do primeiro turno, mas não teve êxito. Somente o Cidadania, que teve o jornalista Mário Rogério como candidato, protocolou apoio ao PSDB no segundo turno. Tirando o PSTU, o Psol e o UP, que pregam o voto nulo, o restante das siglas partidárias estão agora com Dr. Pessoa, a exemplo do PSD da ex-candidata Simone Pereira. O PT, do ex-candidato Fábio Novo, também já disse que está nessa reta final com o candidato do MDB.

Ao PSDB resta agora a esperança de uma virada nas últimas horas da votação. Só que também é preciso mudar a cabeça dos eleitores, que está virada para o caminho das mudanças depois de 34 anos de um mesmo modelo de gestão, mas que talvez não responda mais aos anseios da coletividade.


O povo

Redação