Local

Pelo segundo mês consecutivo, Piauí consegue gerar mais empregos do que demissões

Desde o início da crise do novo coronavírus, em março, a criação de empregos tem sido um desafio no estado. No entanto, pelo segundo mês consecutivo, o Piauí consegue gerar mais empregos do que demissões.

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia, o Piauí encerrou julho com um saldo de 1.073 vagas, bem mais do que as 37 de junho.

Os empregos foram puxados principalmente pela construção, que gerou 826 vagas; e indústria, com 385 postos de trabalho ocupados. A agropecuária continuou contratando, tendo gerado um saldo positivo de 86 vagas em julho.

O governador Wellington Dias acredita que os próximos meses manterão o ritmo de emprego, principalmente pelas medidas que o Governo do Estado tomou para estimular a economia, como a antecipação do 13º salário dos servidores públicos e a nova linha de crédito oferecida ao funcionalismo público estadual.

“São mais de 200 milhões de reais injetados no mercado piauiense. Isso vai aquecer a economia junto com o acesso ao crédito que o servidor público terá com o Cartão do Servidor, que está sendo lançado pela Agência Piauí Fomento”, lembrou o governador.