Local manchetes

Para Governo do Piauí, aplicação de vacinas contra covid-19 será uma “operação de guerra”

O governador Wellington Dias apresentou proposta que foi devidamente aceita por outros gestores do país para organizar agenda, a partir desta semana, com o Ministério da Saúde, governadores, municípios e Congresso Nacional, para que decisões sejam tomadas com antecedência e organização.

O objetivo é garantir um protocolo brasileiro e elaborar estratégia para aplicação da vacina, que será uma verdadeira operação de guerra. “Muitas pessoas vão correr atrás da vacina e tem que definir estratégia, a exemplo do que ocorre com H1N1, com integração de estados, municípios e Governo Federal e garantir que pessoas da área de saúde, com mais de 60 anos, com morbidade tenha uma regra para atendimento”, disse.

“Precisamos definir quem vai comprar as vacinas? Como será a estratégia de aplicação, qual a ordem de prioridade, equipamentos, equipes, seringas e outros insumos. O Brasil vai trabalhar com as seis pesquisas mais avançadas ou vai fazer opção?”, questiona o governador piauiense.

Em diálogo com todos os governadores do Brasil, Wellington Dias tem buscado junto ao Ministério da Saúde, Governo Federal e Congresso Nacional estratégias de imunização da população com elaboração de planos e estratégias para agilizar a aplicação de vacinas.

No Consórcio Nordeste, o governador Wellington Dias disse que estão sendo feitas tratativas para protocolos junto ao Comitê Ético de Saúde e Anvisa, com pesquisas dos Estados Unidos, China e Rússia. Segundo o gestor, há contatos com laboratório da Europa. “Mas é o governo brasileiro quem deve organizar todo este processo e tomar decisões”, explicou.

Redação