Destaques Geral Local Política

Para gestão de Dr. Pessoa, Educação é prioridade para garantir o desenvolvimento físico e intelectual das crianças

Toda criança tem direito a receber educação. Esse é um dos dez direitos fundamentais descritos na Declaração Universal dos Direitos das Crianças. Para oferecer educação gratuita de qualidade para mais de 95 mil alunos, a Prefeitura de Teresina, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação (Semec), vem implementando ações em todos os aspectos que envolvem as políticas educacionais do município.

Atendendo uma das principais demandas da comunidade, a Prefeitura está ampliando o número de vagas nos Centros Municipais de Educação Infantil, alinhada às estratégias dos planos municipal e nacional de Educação. Em 2021, com a gestão municipal do Dr. Pessoa, duas unidades de ensino infantil foram inauguradas para atender crianças de seis meses a cinco anos de idade, uma na zona Norte, Centro Municipal de Educação Infantil – CMEI Professora Maria Osmarina Moura Bezerra, localizado no Residencial Jacinta Andrade e outra na zona Leste, no Vale do Gavião, com o CMEI professora Noélia Maranhão da capital. As professoras homenageadas faleceram este ano, vítimas da Covid-19. Juntas, abriram 350 novas vagas para jornada de tempo integral.

Novos espaços de estudo sao inaugurados em Teresina Fotos: Rômulo Piauilino / Semcom

E as ações não param por aqui. A zona Rural de Teresina começa a receber mais infraestrutura para oferecer ensino de qualidade em um espaço pensado para atender as crianças. Neste mês de outubro, considerado o mês da criança, a Prefeitura de Teresina, através da Semec, entregou para a população do Povoado Campestre Norte, a reforma e ampliação do Centro Municipal de Educação Infantil Santa Teresinha. Um prédio totalmente novo, com uma estrutura diferente das demais escolas do município.

São cinco salas de aula climatizadas, com a possibilidade de implementação de duas turmas de berçário. O pátio está maior, com mais um bloco em telhado metálico e uma subestação de energia própria. O prédio também ganhou pintura nova, além de faixada com revestimento mais moderno e lúdico. “Uma nova escola que teve início em casinha de palha e agora, recebe toda infraestrutura que a comunidade e, principalmente, as crianças merecem. Temos um compromisso com a Educação de Teresina”, enfatizou o Prefeito Dr. Pessoa durante solenidade de inauguração.

Outra importante reforma e ampliação foi realizada no Centro Municipal Infantil Hercília Torres de Almeida, localizado na Praça da Integração, bairro Parque Piauí, zona Sul de Teresina. O CMEI atende 266 alunos de 3 a 6 anos de idade, distribuídas em turmas de Maternal, 1º e 2º Período da Educação Infantil, nos turnos manhã e tarde.

A reforma do prédio era um sonho da comunidade, que agora conta com sete salas de aula climatizadas, banheiros adaptados, pátio coberto e um revestimento de telhado termoacústico, que reduz as altas temperaturas. Também ganhou pintura nova e uma bela faixada.

As instalações físicas atendem aos padrões de estética e funcionalidade, com arquitetura planejada de acordo com as necessidades das crianças e atendendo aos Parâmetros de Infraestrutura do MEC.

Mais de R$ 7,5 mi investidos no ensino infantil

Para garantir as entregas e a reformas destes quatro Centros Infantis em Teresina, foram investidos mais de R$ 7,5 milhões de reais, recursos oriundos da Prefeitura de Teresina e do Salário Educação.

A Educação Infantil de Teresina conta com 171 centros infantis, distribuídos em todas as zonas da cidade. São mais 760 professores que contam com auxílio de pedagogos, supervisores e estagiários, no atendimento às crianças. Além disso, a Semec disponibiliza profissionais para atendimento especiais com crianças com deficiências. São psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros, dentre outras especialidades em parceria com Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar – CMAM.

De acordo com o secretário municipal de Educação, professor Nouga Cardoso, os investimentos em Educação Infantil é uma das prioridades da gestão municipal. “Recebemos, diariamente, na Semec, nas escolas e através dos nossos meios de comunicação, pedidos constantes de vagas, desde berçários até o 4º ano. Pedidos de mães, pais que precisam trabalhar e não têm onde deixar seus filhos. A pandemia prejudicou muitas famílias, no quesito financeiro. Muitas crianças que estudavam em escolas privadas passaram a buscar uma vaga na educação municipal. Ainda, não é possível atender a todos, mas temos este propósito”, ressalta Nouga Cardoso.

Para o ano de 2022 o secretário anuncia a entrega de mais um CMEI que está em construção, dessa vez no bairro Primavera Leste. A estrutura chama atenção como as demais, ampla e colorida, com salas de aulas climatizadas, refeitório, pátio coberto, sala multimídia e banheiros com acessibilidade. Além disso, a comunidade aguarda ansiosa a conclusão das reformas nos CMEI’s Peixe Vivo e Árvores Verdes, que mudarão totalmente a estrutura dos prédios, possibilitando a ampliação de matrículas.

“Sabemos que há mais chances de sucesso na aprendizagem da criança quando ela estuda em um local bem estruturado, com conforto e segurança. Investir nessas construções, acompanhar para que as obras sejam executadas a contento, é uma forma de cuidar dos alunos, valorizar as famílias que contam com esse serviço”, declara o secretário municipal de Educação, Nouga Cardoso.

Retorno às aulas presenciais com segurança

Um mix de ansiedade, emoções e um largo sorriso no rosto de milhares de crianças que retornam para a sala de aula, depois de quase dois anos, somente com aulas online.

Os profissionais da educação não medem esforços para colorir o dia da garotada. Se hoje tem espetáculo? Tem, sim Senhor! Participando de oficinas de leituras e histórias, cantando, dançando, recebendo mimos, passeios a restaurantes da cidade, através de ações sociais e muitas brincadeiras, os alunos se enchem de alegrias ao retornar para sua segunda casa, a Escola.

Do total de 322 unidades de ensino entre escolas e centro infantis, mais de 250 já retornaram com as aulas no formato hibrido. Diariamente, o secretário e equipe técnica têm visitado as unidades para acompanhar o retorno as aulas presenciais e verificar as principais necessidades, conversando com gestores, professores e pais de aluno. Com o retorno das aulas, os estudantes voltam à rotina de atividades presenciais aos poucos, mas seguindo os protocolos de segurança sanitários.

No CMEI Vila Bandeirante, a diretora Nordely Noronha e sua equipe preparou toda a escola para receber os pequenos de volta. Eles entram em fila com distanciamento, lavam as mãos, têm a temperatura verificada e seguem acompanhados para a sala de aula. A turma faz revezamento para manter a sala de aula com o menor número de alunos possível.

“Estamos muito felizes com essa retomada, as crianças sentem saudade da escola. Nosso papel, além de garantir a segurança, é cuidar dos nossos alunos em busca de minimizar os prejuízos físicos e mentais trazidos pela pandemia”, diz a diretora. A escola mantém, desde o início da pandemia, um serviço de capelania escolar, uma forma de apoiar professores e pais em todas as suas necessidades.

“Foram quase dois anos de espera, ansiedade, medo e muita criatividade para prosseguir com as aulas de nossas crianças. Dias de muita esperança. Hoje, ao receber nossas crianças para o primeiro dia de aula presencial, a emoção tomou conta de todas nós professoras e servidores. A expectativa era a reação das crianças e das famílias. Fomos surpreendidos com a boa aceitação. Seja das professoras, alunos e comunidade. Na verdade, estamos iniciando uma linda caminhada. Sentimos a alegria e o brilho das crianças e da família”, disse a diretora do Cmei Thereza Chistina, Raimundinha Soares, a tia Ray.

Famílias apoiam as escolas no retorno às aulas presenciais

A previsão da Semec é de que até o mês de novembro todas as 322 escolas e centros infantis tenham retornado no formato presencial. “Claro que existem alguns ajustes para o retorno, mas estamos ouvindo os gestores e buscando soluções, dentro dos protocolos de segurança. Além disso, estamos contando com o apoio dos familiares para este retorno”, frisa o secretário executivo de Ensino, professor Kleytton dos Santos.

De fato as famílias estão otimistas com o retorno das aulas presenciais. Foram realizadas reuniões com os pais e/ou responsáveis que receberam um termo de autorização para o retorno dos filhos. “Em casa, nos reunimos e analisamos as condições da escola. Conversamos com nossa filha e estamos sempre a orientando sobre os cuidados diários. É tem apenas 4 anos, mas já entende. Ver a alegria dela reencontrando os amiguinhos e as tias, não tem preço”, disse a dona de casa Silvana Neves, mãe da pequena Yasmim Neves que estuda no Cmei Santa Maria da Codipi, zona Norte de Teresina.

Cada escola vem adotando as medidas necessárias para evitar a disseminação do vírus e a cada visita, me surpreendo com os cuidados dos diretores e professores. As próprias crianças demonstram que estão atentas para estes cuidados. Logo na entrada para a escola, todos formam filas para testar a temperatura e receber o álcool nas mãos.

Elas mantêm o distanciamento e realizam o uso das pias para lavar as mãos. “Minha mãe me orienta e as tias também. Tenho máscara de reserva na bolsa. Eu estava muito ansiosa para voltar. Não aguentava mais aulas online”, disse Ana Clara Feitora, 9 anos, 4º ano da Escola Municipal Jornalista João Emilio Falcão, zona Sul de Teresina.

“Eu amo minha escola Thereza Christina. Adoro as aulas, as brincadeiras, minhas tias, as plantinhas, a comida deliciosa. Eu pedia todos os dias a mamãe para voltar, mas ela dizia que o Vírus não deixava. Agora deu certo”, se alegra o pequeno Alan Felipe de apenas 3 anos de idade, maternal II. “Fui bem difícil ficar todo esse tempo dentro de casa, mas voltamos com segurança”, ressalta mãe do Alan, Dalmira Gomes.

A gerente de Educação Infantil da Semec, Gilsânia Noleto, explica que as práticas desenvolvidas nos CMEIs de Teresina visam, sobretudo, assegurar os direitos de aprendizagem e desenvolvimento preconizados na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Trabalhamos com os campos de experiência, baseados no conviver, participar, brincar, expressar, explorar e conhecer-se. As situações de aprendizagem no contexto da Educação Infantil privilegiam as brincadeiras, o convívio com o outro, o relacionamento com a natureza, as rodas de conversa, os momentos de leitura e as múltiplas atividades artísticas”, finaliza Gilsânia.

Jogo do Poder

Fonte: Semec