Geral Local manchetes

Para Dr. Pessoa, seu nome é lembrado por sua história de vida e porque os tucanos não governam com o povo

Em entrevista a este portal Jogo do Poder, o pré-candidato a Prefeito de Teresina pelo MDB, Dr. Pessoa Leal, fez uma análise das últimas pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura da Capital nas Eleições 2020. Segundo ele, o fato de liderar os levantamentos em todos os cenários sinaliza que os teresinenses não aceitam mais a forma de administrar de um mesmo grupo ao longo de décadas. “Não estão cumprindo o que planejaram. Não se preocupam em administrar com o povo. E todos conhecem a minha trajetória política e minha história de vida, sempre de mãos limpas, por isso o povo vem lembrando do meu nome”, frisou o pré-candidato.

Dr. Pessoa destacou as duas últimas pesquisas – a do Instituto Opinar, realizada entre os dias 31 de julho e 2 de agosto; e a do Instituto Amostragem, entre os dias 15 e 18 de agosto – e disse que o pré-candidato Kleber Montezuma, do PSDB, ungido pelo prefeito Firmino Filho, está em terceiro lugar, com Fábio Abreu, do PL, na segunda colocação, com cerca de 19%. “O pré-candidato do prefeito está em queda livre.”

Ele disse que estranhou a diferença de percentuais do pré-candidato tucano nas duas pesquisas em um espaço de tempo tão curto, caindo de 13,50% para 9,90%. “No lançamento da pré-candidatura, fizeram passeata, festividades e soltaram até foguetes, e o Dr. Pessoa na faixa de 34%”. Acho que na primeira pesquisa, colocaram ele lá em cima da árvore, mas o povo está clamando por outro gestor”, avaliou.

De acordo com o pré-candidato do MDB, já era para ele vir sendo prefeito de Teresina desde a última eleição municipal. “Mas as eleições foram tomadas, com muita influência do poder econômico. Eles investiram no período da política duas a três vezes mais do que no ano anterior. Mas agora, com a benção de Deus e com o desejo do povo, Teresina terá uma administração muito melhor, governaremos com o povo e nossos aliados, com toda a sociedade, com a periferia da cidade, e de forma planejada”, acrescentou.

Indagado sobre essa preferência dos teresinenses em torno do seu nome, o pré-candidato Dr. Pessoa respondeu que a leitura que faz é a de que é preciso administrar sem roubar, ser eficiente na aplicação de políticas públicas.

“Descalabro na educação e na saúde”

“Você está vendo o descalabro que temos na saúde e na educação, uma gestão completamente maquiada, como se Teresina fosse de primeiro mundo nessas áreas. Eu queria me confrontar, por exemplo, com o pré-candidato do prefeito, para desmascarar essa falta de verdade na educação”, assinalou Dr. Pessoa. Kleber Montezuma foi secretário municipal de Educação e saiu para ser pré-candidato a prefeito.

Sobre a área de saúde, o pré-candidato do MDB acusou que durante essa pandemia do novo Coronavírus, os hospitais não têm todos os equipamentos de proteção, as UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) necessárias para enfrentar a doença. “Antes mesmo dessa pandemia, já não havia UTIs suficientes para atender os pacientes da rede, gente morrendo por falta de UTIs”.

Dr. Pessoa também revelou que na área da educação, durante a pandemia, nem todos alunos da rede municipal podem contar com tecnologia para assistir às aulas remotas. “As escolas não estão conectadas como deveriam. Há muita mentira, tem muita falácia”, assinalou.

Primeiro turno e João Henrique

Sobre o primeiro turno das eleições, o pré-candidato do MDB fez questão de frisar que não há conchavos políticos, será uma disputa de igual para igual com todos os candidatos. “Agora, no segundo turno, vamos caminhar juntos com aqueles que desejarem nos acompanhar.”

“Também quero dizer que foi Deus que colocou o ex-ministro João Henrique na coordenação-geral da nossa campanha. Vamos contar com a sua experiência e com a experiência de quem sempre teve as mãos limpas e que o povo está chamando para administrar Teresina”, asseverou. Ele comemorou o fato de todas as lideranças do partido estarem abraçando a sua pré-candidatura.

“Vamos focar uma administração voltada para geração de emprego e renda, educação e saúde. Uma administração para resultados positivos tanto na área econômica como na área social”, concluiu.

Redação