Destaques Geral Local Política

“Nós temos em Teresina uma ilha administrativa chamada prefeitura”, critica Fábio Abreu

O candidato a prefeito de Teresina pelo PL, deputado federal Fábio Abreu, participou de sabatina nesta terça-feira, 6, na TV Cidade Verde, através de videoconferência, já que cumpre protocolo de isolamento social por está com sintomas da Covid-19. O candidato, que já foi secretário de Estado da Segurança Pública, prometeu que vai criar pasta similar na prefeitura, caso seja eleito nas eleições municipais de novembro. A pasta, segundo ele, atuará em parceria com o governo do estado e não de forma isolada, em uma espécie de ilha.

“Nós temos uma ilha administrativa chamada prefeitura. Ela não se comunica com o Estado. Ela não faz uma comunicação de ações integradas. Precisamos entender que nós temos um processo de repressão aí presente, com indivíduos que cometem crimes. Esse sim é o papel da guarda municipal nas diversas áreas que estamos prevendo em nosso plano. Estamos prevendo também a criação da Secretaria Municipal de Segurança Pública, para que essa faça parceria com o Estado”, afirmou.

“Onde eu estiver fazendo um policiamento de guarda municipal, lá não é necessário que eu faça o policiamento com a PM. Essa é a integração que eu digo. É eficiência e otimização dos meios que a gente tem. Agora hoje nós não podemos, pois o prefeito tem diferenças pessoais com o governo e leva isso para a gestão. Quem é gestor e pensa dessa forma está equivocado”, declarou.

“A parte de segurança do município vai passar por otimização da guarda, sim, dos agentes de trânsito, de um trabalho social integrado. Temos um projeto importante e que nunca houve parceria da prefeitura, que é o Pelotão Mirim. Vá em um sábado no quartel que você vai sair de lá encantado. Teresina não fez parcerias porque tem diferenças pessoais. Não conseguimos ter acesso às escolas municipais”, assinalou Fábio Abreu.

Na área de educação, o candidato defendeu a implantação de internet nas escolas e valorização dos profissionais que atuam em sala de aula.

“O que a gente precisa – e eu quero – é uma escola igual para todos. Precisamos corrigir a dignidade dos profissionais da educação. Eles são tratados de forma oprimida. Isso não vamos permitir. Eu tenho certeza que ao receber a prefeitura no próximo ano, os profissionais ainda estarão em greve e vamos resolver. Vamos buscar a construção de creches. Espero que já tenhamos a vacina em janeiro, mas nós precisamos efetivamente do uso da tecnologia a favor da criança e não só promessa de tablet. Precisamos entregar o tablet e o ponto de internet, caso contrário de nada vai adiantar. Essa parte de tecnologia já deveria ter sido implementada. Essa interação do aluno e professor já deveria existir. O advento da pandemia veio só tirar a máscara daquilo que é grande deficiência da prefeitura em relação à tecnologia. Vamos recuperar o que foi perdido”, destacou.

O candidato disse que não possui arestas pessoais e nem políticas e que sua gestão será marcada por parcerias. “Minha gestão vai receber parceria do governo estadual, federal, das Ongs. Vou estar aberto a isso. Precisamos é gerar emprego”, afirmou.

Fábio Abreu anunciou o projeto Gerar, cujo objetivo é unir diversos segmentos na busca por soluções para crise, gerando emprego e renda.

“Esse projeto vai ser uma união entre grandes, pequenos e micro empresários, representantes da sociedade, economistas, administradores e gestores, no mesmo espaço trabalhando esse problema que vai ser enorme a partir de 2021, chamado desemprego. Isso nós já estamos trabalhando agora para que possamos desburocratizar o sistema que hoje emperra o desenvolvimento de Teresina”, afirmou. (CV)

Redação