Destaques Geral Local Política

“Não há caso de desvio de vacinas”, afirma Wellington Dias; governador condena fake news sobre vacinação

“Não há nenhuma caso de desvio de qualquer natureza. Há todo o esforço para seguir o cronograma, que agora tem o desafio ampliado. Avançamos na vacinação do pessoal da vacina da saúde, da população mais idosa”, afirmou nesta quarta-feira (31) o governador Welligton Dias (PT), que condenou a circulação de notícias falsas sobre a vacinação no Brasil, o que ele classificou como fake news.

Wellington Dias destaca que o Piauí está entre os três estados que mais avançaram na vacinação. De acordo com dados apresentados pelo governador, o Piauí tem vacinado em média 25 mil pessoas por dia. Ele destacou o esforço para se cumprir o cronograma de vacinação.

“Temos quase 470 mil doses de vacinas que chegaram ao Piauí. Já fizemos vacinação, entre primeira e segunda dose, para próximo de 300 mil vacinas. Somos obrigados a colocar uma reserva para a segunda dose. Ainda temos a distribuição de vacinas que estão em poder dos municípios para a vacinação. Toda vacina que chegou ao Piauí é criteriosamente distribuída e aplicada. Não há nenhuma caso de desvio de qualquer natureza. Há todo o esforço para seguir o cronograma, que agora tem o desafio ampliado”, afirmou Wellington Dias.

“Avançamos na vacinação do pessoal da saúde, da população mais idosa. Estamos vacinando acima de 65 anos, estamos nos aproximando do final da primeira fase. Agora, aprovamos, é uma defesa que fiz com outros líderes nacionais, aprovamos de colocar da segurança e educação. Nos aproximamos de 1 milhão de pessoas vacinadas por dia no Brasil. Isso é que faltava. Tendo vacina, o Piauí e o Brasil tem capacidade de vacina”, disse o governador.

Dias falou sobre carta assinada pelos governadores do país contra as fake news. “É lamentável que em um momento como esse tenhamos pessoas que vão além da tradicional crítica. Uma coisa é criticar e opinar, outra coisa é quando colocar a população de forma desonesta. Apesar de todas as críticas, o Piauí se encontra entre os três estados que mais cresceu a área da vacinação. Um esforço extraordinário da equipe trabalhando direto para salvar vidas. As pessoas têm o direito à liberdade, mas é importante cuidado. Estamos todos com os nervos à flor da pele. É um momento delicadíssimo. As pessoas estão com medo. Qualquer descompasso, com a angústia que as pessoas estão, pode levar a consequências danosa”, afirmou.

Wellington Dias voltou a pedir que as pessoas respeitem o isolamento durante o feriado da Semana Santa. Ele afirmou que o desafio é reduzir a curva de transmissibilidade do vírus no estado.

“Temos uma situação em que todo esforço é para reduzir a transmissibilidade. Ou seja, quanto menos pessoas em circulação menos teremos propagação do vírus. Primeiro momento de forma massiva reduzir a circulação do vírus e das pessoas. Também as equipes para localizar mais cedo quem tem o vírus. A estratégia é localizar cedo para que se tenha as condições do tratamento médico adequado. Fazer a triagem para isolar quem já foi detectado com covid e as pessoas que tiveram contato com o paciente. Para não ter transmissibilidade”, ressalta.

Com relação ao Governo federal, Wellington critica a falta de articulação com estados e municípios. Para ele, isso dificulta o combate ao vírus.

“Esse trabalho não é fácil porque não temos municípios e estados integrados com a União como ocorre em outros países. Isso termina levando a um tempo maior. A capacidade nossa, com todas as medidas, é com isolamento em 50%. De qualquer modo, temos resultados. Temos uma instabilidade alta. A transmissibilidade parou de crescer, mas entrou em uma linha de queda. Já chegamos a 2.8 na transmissibilidade. Para se ter uma ideia, para cada 100 exames que fazemos, 40 dão positivo. A medida que cai a transmissibilidade, a expectativa é de ter uma queda no adoecimento. Com isso, esperamos menos entrada na rede hospitalar. É acabar com a fila na UTI. O óbito está elevado porque as pessoas morrem de covid-19 e deficiência no atendimento”, destacou Wellington Dias. (Com CV)

Redação