Destaques Geral Local Política

Mulheres atendidas pelo Serviço Florescer Norte encerram atividades com confraternização de Natal

As atividades de 2021 no Serviço de Atendimento Integral às Mulheres e suas Crianças – Florescer, unidade da Zona Norte, no bairro Matadouro, foram encerradas nesta quarta-feira (15). Em celebração, a unidade realizou uma confraternização de Natal com as mulheres e crianças atendidas pelo serviço na região.

A secretária de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), Karla Berger, destacou as atividades desenvolvidas pelo serviço ao longo do ano – cursos, palestras e oficinas. Fundado em 2015, o Florescer inicialmente foi pensado para mulheres e para atender crianças de um a dois anos e onze meses, com 100 vagas em cada unidade. Neste ano, as três unidades passaram por mudanças significativas no formato e atendimento.

“Antigamente o serviço funcionava apenas para mães. No entanto, após uma série de estudos e pesquisas, percebemos a necessidade do serviço ser voltado para o gênero feminino”, explica Karla. “Por conta disso, após a reformulação na atual gestão da Prefeitura de Teresina, através do Dr. Pessoa, o serviço funciona de portas abertas para toda e qualquer mulher de Teresina em situação de vulnerabilidade”, ressalta a secretária.

Nesta manhã, mais de quarenta famílias entre mães, pais, avós e crianças estiveram presentes na confraternização que teve dança das mulheres e suas crianças. Entre elas, Joseane Lopes, 35 anos, que foi inserida no serviço neste ano. “Significa muito pra mim, abri muito meus olhos, aprendi muita coisa. Foi um abrigo para mim e para meu filho. Também aprendi a me reconhecer como mulher, minha autoestima mudou significativamente”, ressalta Joseane.

Larissa Maria, de 40 anos, teve um ano difícil e através do Florescer, conseguiu se reerguer. “Infelizmente, perdi minha mãe e o serviço foi como um acolhida”, contou a mulher. Ainda dentro do espaço, ela chegou a realizar cursos e oficinas. Agora, ela se prepara para em 2022 ser dona de um empreendimento.

O Serviço também funciona como uma rede de amparo para as mulheres que vivem na região. Francisca Maria, de 38 anos, estava em situação de violência de gênero e o espaço foi crucial para poder romper o ciclo de violência. Ela foi uma das mulheres que participou das sessões de escuta psicológica especializada – uma ação implementada no serviço neste ano.

“Conheci o Florescer através de uma amiga, estava passando por um relacionamento abusivo”, confidencia Francisca. “Hoje, me sinto muito mais segura, sei o meu valor: sou uma mulher muito mais empoderada”, relata Francisca.

A celebração foi realizada sob fortes emoções. Aline Heira Guajajara, coordenadora do Florescer Norte, foi homenageada pelas mulheres atendidas. “Foi muito especial ver após esse ano o avanço das mulheres e suas crianças. Hoje temos mulheres desinibidas, dona da sua própria voz”, conta Aline. “As crianças, muitas que possuem deficiência, hoje possuem um grande avanço em atividades motoras e pedagógicas que oferecemos. O serviço floresceu na zona Norte”, finaliza Aline.

Fonte: SMPM