Destaques Geral Local Política

Governo manterá medidas restritivas pelos próximos dias para contenção da Covid-19

A orientação do COE é manter as medidas restritivas e até ampliá-las, uma vez que os casos e óbitos seguem em alta no Estado.

Neste sábado, 3, o governador Wellington Dias esteve reunido virtualmente com os membros do Comitê de Operações Emergenciais (COE) Ampliado para discutir sobre a adoção de medidas restritivas para os próximos dias no Piauí. O decreto que está em vigor tem validade até este domingo (4).

A orientação do COE é manter as medidas restritivas e até ampliá-las, uma vez que os casos e óbitos seguem em alta no Estado. As medidas dos últimos dias resultaram numa porcentagem maior de isolamento social, cerca de 60%, mas não alcançaram o resultado esperado. A redução do índice transmissibilidade está baixa e a procura por leitos de UTI segue alta.

“O isolamento social se faz extremamente necessário nesse momento. Com menos pessoas em movimento, a transmissibilidade diminui, pois resulta no menor número de adoecimento e gera uma redução de internações e de óbitos. Tivemos uma redução na ocupação de leitos clínicos, mas no aumento na procura de leitos de UTI, e sequer há profissionais o suficiente. Vamos manter o nível de restrições e examinar a possibilidade de antecipar mais um feriado para a próxima sexta-feira. Vamos também apostar na atenção básica de saúde, seguir com a testagem da população no interior do Estado, com as barreiras sanitárias, e claro, avançar com a vacinação”, disse o governador.

Segundo o coordenador do COE, o médico José Noronha, um Estado que está com o sistema de saúde colapsado não pode abrir mão de medidas de contenção. “Os dados colhidos pela Secretaria de Saúde, Fiocruz e Universidade Federal mostram que a média móvel de novos casos aumentou 35%, que há aumento da procura por leitos de UTI, que a fila de espera para leitos de UTI tem uma tendência a aumentar. De 1 a 30 de março o Piauí teve 750 óbitos, um número alto comparado com os meses anteriores. É fato que o sistema está colapsado e precisamos seguir e ampliar as medidas”, afirmou.

Com as medidas mantidas, o comércio deve continuar funcionando em horário reduzido, as atividades não essenciais seguem sem funcionar nos fins de semana e a circulação de pessoas entre 21h e 5h segue proibida.

Redação