Destaques Geral Local Política

Fábio Novo propõe pacto pela segurança para enfrentamento à violência

O candidato do PT à prefeitura de Teresina, deputado estadual Fábio Novo, disse nessa quarta-feira, 7, que, sendo eleito prefeito da capital nas eleições deste ano, vai fazer o que a atual gestão não fez e nem tem interesse em fazer: uma pacto pela segurança da população, decretando, inicialmente, situação de calamidade no setor. Ele participou de sabatina na TV Cidade Verde.

A medida, segundo ele, seria logo em janeiro de 2021, com a finalidade de colocar em prática umm plano emergencial para a segurança, implementando mil homens nas ruas fazendo rondas em motos. No seu plano, está a interligação da Guarda Municipal com a polícia, fazendo os equipamentos funcionarem.

“Se eu tenho um centro de inteligência, monitoramento eletrônico – interligando guarda municipal com polícia. Se eu faço esse pacto pela segurança, se eu faço os equipamentos funcionarem e se eu tenho as polícias interligadas e uma valorização da guarda municipal, dando a infraestrutura necessária de coletes, carros, se comprometendo com o plano de cargos e salários e também fazendo concurso para que essa guarda vá aumentando gradativamente, eu não tenho dúvida que vai dar certo. Medelin fez assim. Era a cidade mais violenta e funcionou”, declarou.

“Em janeiro eu vou decretar imediatamente estado de calamidade na segurança do município para implantar um plano de emergência, recrutando logo mil homens e vamos espalhar esses homens com rondas permanentes na cidade”, disse. Essa sensação de insegurança que vive o teresinense, de acordo com Fábio Novo, tem como uma das razões o abandono, pela atual gestão tucana, dos equipamentos sociais dos bairros.

“Os CSUs, centros de produção, quadras de esportes, espaços de cultura. Esses espaços não funcionam ou funcionam muito precariamente sem uma política definida. Se não tem esses equipamentos funcionando nos bairros, as pessoas vão pra ociosidade e para a violência. Nós vamos ter uma política de recuperar nossas quadras de esporte, botar a nossa meninada para fazer esporte. Eu vou fazer uma parceria com as universidades e aquele aluno que tiver terminando Educação Física, a gente vai pagar a bolsa e ele vai pra uma quadra e vai mobilizar a comunidade e nós vamos fazer esporte. Vai ser bom para o corpo, mente e é uma política preventiva de segurança”, afirmou.

O pacto pela segurança, na visão do candidato petista, inclui sentar com o governo. “O município nunca chegou no estado para fazer um pacto pela segurança. O município tem 400 guardas municipais que estão improvisadamente em uma casa alugada. Nós vamos dividir a cidade por áreas, zonas. Vamos botar uma base lá na Santa Maria da Codipi, outra mais perto do Mocambinho, na zona Sul, Sudeste. Em todas as zonas de Teresina nós teremos uma base. Vamos sentar com o governador do estado e vamos pedir também que ele nos ajude com a polícia militar. É perfeitamente possível colocar em Teresina todos os dias, mil homens em uma moto fazendo rondas permanentes. Só isso ajuda a inibir”, defendeu.

Redação