Destaques Municipios

Em União, superfaturamento em água sanitária pode causar prejuízo de R$165 mil

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (13), em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU), a “Operação Naclo”, no município de União. A investigação apura o superfaturamento na compra de água sanitária usada para higienizar a cidade no combate ao novo coronavírus.

A investigação teve início após a imprensa divulgar que a Secretaria de Saúde do município havia adquirido 6 mil unidades de galões de 5L de hipoclorito de sódio 2% (água sanitária) ao custo total de R$ 293 mil. A finalidade era realizar a higienização de ruas do município, que tem população de aproximadamente 45 mil habitantes.

A empresa vencedora realizou a venda da unidade do galão de 5L de hipoclorito de sódio 2% por R$ 48,80. Segundo a PF, o preço médio do produto no mercado local, mesmo na pandemia, é de R$ 20. Diante disso, a PF conclui que há indícios razoáveis de que o contrato firmado entre a empresa e a Secretaria de Saúde de União foi superfaturado em pelo menos 144%.

Segundo informação repassada pelo superintendente da Controladoria Regional da União no Piauí, Glauco Soares Ferreira, em entrevista coletiva virtual, o prejuízo aos cofres públicos pode ultrapassar R$ 165 mil. “Com base no sobrepreço, o prejuízo pode ser ainda maior porque o fornecimento da água sanitária não teria se dado conforme foi repassado pelo município. Também constatamos que a empresa não tinha condições de oferecer os 30 mil litros de água sanitária, mesmo que o único contrato que tivesse fosse com a prefeitura”, reitera Ferreira.

Allan Reis de Almeida, chefe da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros, explica ainda que dos 6 mil galões que a prefeitura alega ter comprado foram encontrados apenas 2.636 unidades entre cheios e vazios.

“Além disso, essa quantidade de galões é desproporcional para uma cidade com apenas 45 mil habitantes”, pontua o delegado que chama atenção para outro fato que causou estranheza. “Em abril deste ano, a mesma empresa forneceu um galão de água sanitária a R$ 12”, destaca.

Até o momento não houve prisão e nem há indícios de participação do prefeito da cidade, Paulo Henrique. As buscas foram na casa do secretário de Saúde, Narciso Chaves, na casa do presidente da comissão de licitação da prefeitura de União e na casa e empresa do vencedor da licitação.

Nota da Prefeitura de União

A Prefeitura de União esclarece que desconhece indícios de superfaturamento na aquisição do hipoclorito de sódio utilizado para a sanitização de locais públicos e ruas da cidade. Informa ainda que está colaborando com todas as investigações da Polícia Federal para que os fatos possam ser esclarecidos. A Prefeitura trabalha com transparência, prezando pela disponibilização de informações à população e aos órgãos de controle, sendo que o processo licitatório foi realizado seguindo todos os trâmites burocráticos exigidos em lei.

Nota da empresa Ricek

A empresa Ricek foi surpreendida hoje, dia 13.08.2020, sobre vendas superfaturadas, com imagens de produtos de nossa fabricação. Gostaríamos de esclarecer que não vendemos para o Município de União, o que houve foi uma venda efetuada para uma distribuidora a preços normais de mercado e está fez a venda para o mesmo. Na oportunidade, queríamos deixar bem claro que a empresa Ricek Industria e comercio Ltda, atua no ramo de produtos de limpeza e lavanderia desde 2001 praticando os melhores preços do mercado com produtos de excelente qualidade e é contrária a prática de venda superfaturadas de qualquer espécie.