Geral Local manchetes Política

Em carreata com Robert Rios, Dr. Pessoa destaca plano de infraestrutura, saneamento, emprego e renda

O candidato a prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB), e o seu candidato a vice, Robert Rios (PSB), realizaram, nesta sexta-feira (30), uma carreata na região da Santa Maria da Codipi, zona Norte, acompanhados de candidatos a vereadores da Coligação “Pra Cuidar da Nossa Gente”.

“Aqui não tem infraestrutura, saneamento básico também não existe e emprego e renda nem se fala. A prefeitura prometeu realizar grandes obras que gerariam emprego e renda, mas não fez. Próximo às eleições, mandam limpar as ruas para enganar a população. Nós vamos olhar para esse povo com carinho, ouvir as reivindicações e fazer mais por eles a partir de janeiro de 2021”, disse Dr. Pessoa.

À tarde, Dr. Pessoa fez uma caminhada no bairro Satélite e depois seguiu para reuniões com lideranças e apoiadores nas zonas Leste e Norte.

Plano de saneamento

Em seu plano de governo na área de sanamento, Dr. Pessoa dá destaque para a perfuração de poços tubulares e a implantação de caixas d’água para construção de sistemas simplificados de água em localidades periféricas e rurais. Nas regiões altas de Teresina, o plano ressalta o incentivo à empresa gestora de águas e esgotos a implantar anéis de distribuição de água para sanar o problema de falta de água em Teresina.

Reciclagem

Dr. Pessoa destaca ainda a construção de usinas de reciclagem em Teresina. Atualmente, com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aumenta o número de prefeituras no Brasil que investem em usinas de reciclagem de entulhos, por exemplo, que, além de trazer ganhos ambientais e políticos, um dos atrativos do investimento é a potencial redução de custo com aquisição de matéria-prima, já que ela passa a ser secundária, ou seja, fabricada a partir de resíduos sólidos de construção e demolição (RDC). Sem contar que essa iniciativa propicia a geração de emprego e renda.

Coleta seletiva

O emedebista, de acordo com o seu plano de governo, pretende ampliar o sistema de coleta seletiva, de forma gradual, além de apoiar e incentivar as organizações de catadores existentes e estimular a instalação de recicladoras; melhorar e ampliar o serviço de varrição e adotar tecnologias modernas e eficientes na capina, atendendo semanalmente as áreas residenciais e diariamente as áreas comerciais, intensificando a atividade de capina no período das chuvas; ajustar a periodicidade da coleta domiciliar, estabelecendo e divulgando o calendário com dia e intervalo de hora da coleta; adotar normas mais rigorosas para execução do serviço de coleta de penas e vísceras e de resíduos hospitalares; implantar novo aterro sanitário e adequar o existente às melhores práticas para a atividade. Tudo conforme disposto na Lei 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Implantar postos de entrega voluntária de resíduos recicláveis em pontos estratégicos e prédios públicos, conforme disposto na Lei 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Implementar mecanismos de controle social para fortalecer a participação da sociedade nas ações relacionadas ao saneamento básico, conforme a Lei 11.445/2007.

Qualidade da água

O candidato destaca ainda que vai trabalhar para a manutenção dos sistemas e monitoramento periódico da qualidade da água, conforme a Portaria 2.914/ 2011 do Ministério da Saúde. O monitoramento é o conjunto de práticas que visam o acompanhamento de determinadas características de um sistema, sempre associado a um objetivo. No monitoramento da qualidade das águas naturais, são acompanhadas as alterações nas características físicas, químicas e biológicas da água, decorrentes de atividades antrópicas e de fenômenos naturais.

As práticas relacionadas ao monitoramento de qualidade de água incluem a coleta de dados e de amostras de água em locais específicos (georreferenciados), feita em intervalos regulares de tempo, de modo a gerar informações que possam ser utilizadas para a definição das condições presentes de qualidade da água. É fundamental que associado a este monitoramento seja feita a determinação da vazão, de forma a determinar a carga de poluentes afluente. O monitoramento visa, ao final, permitir uma avaliação adequada da qualidade da água. Para tanto, podem ser utilizadas diversas configurações, em termos de localização dos pontos de monitoramento, de periodicidade e de tipo de parâmetros monitorados.

Feira

Criar a Feira Municipal de Meio Ambiente e Saneamento Básico, de acordo com o que é proposto na Lei 795/1999. Também pretende criar o Sistema Municipal de Informações sobre Saneamento Básico integrado ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico ao Sistema Municipal de Saúde, conforme o disposto na Lei 11.445/2007.

Redação