Geral Local manchetes Política

DR. PESSOA: FIRMINO TENTA COLOCAR UM “JABUTI” NA ÁRVORE

O médico-cirurgião Dr. Pessoa, pré-candidato a prefeito de Teresina pelo MDB, reagiu às declarações do prefeito Firmino Filho (PSDB) em entrevista a uma televisão local quando afirmou que o nome mais qualificado e preparado para administrar a capital é o do também tucano e ex-secretário de Educação Kleber Montezuma. Em entrevista a este portal Jogo do Poder, o pré-candidato do MDB declarou que o atual gestor da Prefeitura tenta, a todo custo, colocar um “jabuti” na árvore e classificou essa afirmação do prefeito como um desrespeito aos outros pré-candidatos, numa atitude de “tirania”.

Dr. Pessoa, que tem como pré-candidato a vice o ex-deputado estadual Robert Rios (PSB), definiu ainda como desrespeitosa a declaração de Firmino ao afirmar que Kleber Montezuma será o maior prefeito da história de Teresina, “melhor até do que Wall Ferraz”. A trajetória política e na Prefeitura da capital de Wall Ferraz é admirada pela classe política e por muitos teresinenses. “Ele está ofendendo, agredindo a memória do professor Wall Ferraz, numa atitude de pura arrogância”, afirmou o pré-candidato do MDB, que ainda classificou o atual prefeito tucano de preconceituoso em relação aos outros nomes que estão sendo colocados à disposição dos teresinenses para as eleições municipais deste ano.

Ao contrário do que afirmou Firmino Filho, Dr. Pessoa assinalou que Teresina conta com pessoas capazes para administrar a cidade. “Temos homens e mulheres preparados para governar e administrar bem a nossa cidade. O que o senhor prefeito está fazendo é colocando um ‘jabuti’ na árvore, mas esse ‘jabuti’ vai quebrar os galhos. Não teve capacidade nem de fazer uma boa gestão na educação municipal”, disse.

A propósito, a rede municipal de educação de Teresina está paralisada desde março deste ano, não somente por conta da pandemia do novo coronavírus, mas, principalmente, pela greve dos professores, cobrando reajuste salarial definido por lei e melhores condições de trabalho.

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos do Município de Teresina (Sindserm), Sinésio Soares, revelou que no lugar dos grevistas, a Semec (Secretaria Municipal de Educação) colocou 1.900 estagiários, “massacrados” com até 12 turmas e recebendo 540 reais. “O Sindserm já denunciou isso ao Ministério Público do Trabalho”, afirmou o sindicalista. E acrescentou: “o prefeito está perseguindo servidores em greve e fazendo descontos ilegais como mera perseguição política, em pleno período de vedações eleitorais. A greve continua dentro da legalidade. O prefeito não pede a decretação da ilegalidade à Justiça, porque sabe que o ilegal é ele”. O sindicalista também afirmou que que a maioria dos alunos está excluída das atividades escolares de forma remota porque não contam com a internet.

Sinésio Soares sustentou que o prefeito Firmino Filho não queria pagar o abono constitucional de férias, mas o sindicato acionou a Justiça com um Mandado de Segurança Coletivo. O juiz determinou que a Prefeitura se manifestasse. “Eles resolveram pagar, mas não publicaram os contracheques (o que é ilegal) e perseguiram 32 professores, dentre eles dois que fizeram denúncias de utilização eleitoral dos grupos de WhatsApp das escolas para fazer campanha para o candidato do prefeito.

Para o pré-candidato Dr. Pessoa, tudo isso revela a forma “tirânica” como os tucanos conduzem a cidade e tratam os servidores da Prefeitura. Sobre a expressão “jabuti na árvore”, Dr. Pessoa se refere à situação em que esse tipo de animal não sobe em árvore, a não ser que se coloque ele lá. Para o Dr. Pessoa, o pré-candidato tucano sempre tratou mal os trabalhadores da educação.

“Agora, esse prefeito (Firmino Filho) tem que se colocar em seu lugar e ter a consciência de que não é ele que escolhe quem vai governar Teresina. Quem escolhe é povo”, concluiu.

Redação Jogo do Poder