Destaques Geral Local Municipios Política

Comitê apresenta Campanha de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo

O Comitê de Políticas Públicas para Mulheres Rurais, coordenado pela Secretaria de Estado da Agricultura Familiar (SAF), fez o pré-lançamento, nessa quarta-feira(15), de forma remota, do Plano de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo.

Participaram do pré-lançamento, a secretária de Estado da Agricultura Familiar e coordenadora do comitê, Patrícia Vasconcelos; a coordenadora estadual de Políticas Públicas para Mulheres, Zenaide Lustosa; e a presidente da Fetag-PI, deputada estadual Elisangela Moura (PCdoB).

O comitê é formado por representantes da Seduc, Seplan, Emater, SSP, SAF, CEPM, e Cojuv e faz uma integração das políticas públicas desenvolvidas no estado voltadas para mulheres rurais. A consultora de Gênero, Raça, Etnia e Geração, Sarah Luiza, abriu o pré-lançamento e fez uma apresentação sobre as peças publicitárias da campanha e a consultora de Gênero e Geração, Wladynea Albuquerque, apresentou o projeto.

Segundo a secretária da Agricultura Familiar, nesse período foi observado, com informações da Coordenadoria das Mulheres, um aumento no número de casos de violência contra a mulher rural no Piauí. “Um reflexo dos números no país que aponta o mesmo perfil de aumento durante a pandemia causada pela Covid 19, alguns estados chegando a 100%. Nossa campanha tem este caráter específico, de alcançar as mulheres rurais por meio de parcerias com representantes dos movimentos sociais, associações, sindicatos e da Fetag. E assim poderemos divulgar e frisar mais amplamente a questão da denúncia, além de esclarecer que elas não estão sozinhas, já que a mulher do campo fica ainda mais isolada”, explicou Patrícia Vasconcelos.

A gestora ressalta que os dados são reais, apontados pela Organização das Nações Unidas (ONU), que já alertou que a pandemia afeta mais ainda as mulheres em todos os sentidos, inclusive no que tange à violência. “Estamos unindo forças por meio do comitê, para que a campanha chegue aos pontos mais distantes dos municípios do Piauí e atinja seu objetivo maior, não só neste momento mas enquanto elas precisarem de apoio e ajuda neste enfrentamento”, concluiu a secretária.

Zenaide Lustosa, à frente da Coordenadoria Estadual de Políticas Públicas para Mulheres, ressaltou, durante sua fala, que a elaboração e execução do plano é um marco importante na história do campo. “Porque vai contemplar e possibilitar que possamos desenvolver políticas para esse público, que é o mais atingido e que tem mais dificuldade em denunciar, por não ter acesso aos canais de atendimento. É uma iniciativa importante e que a coordenadoria como parceira, caminhará lado a lado do comitê, a fim de agilizar e concretizar as ações do Plano de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo”, destacou a coordenadora.

Mazé Moraes, secretária Nacional de Mulheres da Contag e coordenadora-geral da Marcha das Margaridas, afirmou que mais uma vez o comitê e a SAF saíram na frente com a discussão e ressalta que ao contrário do que se pensa, no campo existe “uma violência silenciosa” contra a mulher e que o agravante é que, com a pandemia, elas têm ficado mais tempo com os agressores e além das dificuldades normais de estrutura e acesso das cidades pequenas para a efetivação das denúncias, essas mulheres perderam espaços de apoio importantes, onde poderiam recorrer nos grupos de conversa, nas reuniões das associações e nas feiras, onde comercializavam seus produtos.

“Foi de extrema importância participar do pré-lançamento e considero que a campanha é uma grande iniciativa, por isso reforço o apoio da Contag, e tenho certeza que a ação vai contribuir muito no combate ao feminicídio e à violência, sobretudo contra as mulheres rurais”, enfatizou Mazé.

Redação