Geral Municipios Política

Cocal dos Alves prepara alunos para 2ª fase da 16ª OBMEP

A segunda fase da 16ª OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) será presencial e está prevista para novembro próximo. Os alunos do Centro Estadual de Tempo Integral (CETI) Augustinho Brandão, localizado em Cocal dos Alves, iniciam a preparação para a fase final desta que é a maior competição científica do país.

No último sábado (04), ocorreu o evento de lançamento da preparação dos estudantes de todo município, rede estadual e municipal, para a segunda fase da OBMEP. O reforço da parceria entre Prefeitura Municipal e CETI apoiará o esforço de 64 alunos que estão na fase final e disputam por conhecimento, medalhas e oportunidades para o futuro.

O diretor da escola, professor Darkson Vieira Machado, explica que nesse momento inicial foi lançada a preparação anual da equipe olímpica que vai representar Cocal dos Alves e o Piauí na OBMEP.

“A solenidade e as atividades deste sábado pretendiam motivar os alunos a enfrentar as dificuldades impostas pela pandemia. Iniciamos a preparação pelas plataformas virtuais e sábado foi o início presencial, com o retorno dos alunos para as salas de aulas físicas para preparação para a OBMEP. Este ano fizemos uma parceria com o município, capacitando 64 alunos para a 2ª fase. Conseguimos fardamentos, material específico de estudo, material escolar, tudo para que estejam na escola equipados, motivados e com segurança”, observa o diretor.

Uma metodologia peculiar a Cocal dos Alves, é que os formadores são ex-alunos que já foram medalhistas na escola e que hoje são professores no local, após saírem para fazer graduação e mestrado, retornaram para a escola para essa preparação. Isso pode explicar um pouco do seu desempenho, já foram conquistadas 144 medalhas da OBMEP pelos seus alunos do Augustinho, representando a maior proporção de prêmios entre as escolas do país.

A cerimônia contou com a presença do prefeito municipal, secretária da educação, e do professor Antônio Amaral, da FAPEPI, que ajudará na preparação dos alunos.

Mais sobre a competição em que o Piauí é ouro

A OBMEP acontece em duas fases: a primeira é composta por uma prova múltipla-escolha de 20 questões, e a segunda por uma prova discursiva de seis questões. Os exames são divididos por grau de escolaridade: Nível 1 (6º e 7º anos do Ensino Fundamental), Nível 2 (8º e 9º anos) e Nível 3 (Ensino Médio). Nesta edição, a competição admitirá, excepcionalmente, a participação de estudantes que tenham concluído o Ensino Médio em 2020 em escolas que fizeram a inscrição no mesmo ano e declararam ter alunos no Nível 3, dentro do prazo estipulado no calendário. O motivo é a não realização da prova em 2020 por causa da pandemia.

Serão distribuídas aos alunos participantes 575 medalhas de ouro, 1.725 medalhas de prata e 5.175 medalhas de bronze, além de 51.900 menções honrosas. Todos os medalhistas serão convidados a participar do Programa de Iniciação Científica Jr. (PIC), como incentivo e promoção do desenvolvimento acadêmico dos estudantes.

Além de estimular o estudo da matemática no país, a competição tem como objetivo identificar jovens talentosos e promover inclusão social por meio da difusão do conhecimento. Criada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) em 2005, a OBMEP é realizada com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC).

Jogo do Poder

Fonte: Seduc