Destaques Geral Local Política

Chuvas desmascaram obras eleitoreiras realizadas por troca de votos em Teresina

As chuvas que caem de surpresa nesses últimos dois dias em Teresina chegaram para desmascarar o derramamento de asfalto que vem sendo realizado em diversas ruas de bairros da periferia da cidade para influenciar o eleitor na hora do voto das eleições municipais do dia 15 de novembro. Sem contar que essas chuvas trazem à tona velhos problemas de alagamento no centro e em zonas nobres da capital que nunca foram solucionados por uma gestão de um mesmo grupo – o dos tucanos – que ocupa a prefeitura há mais de 30 anos.

De norte a sul, de leste a oeste e sudeste, vê-se exemplos dados pela administração municipal, comandada pelo PSDB, de “despejo” de asfalto em ruas, sem planejamento e sem projeto de drenagem, apenas para “dizer” para os moradores que está fazendo obra e que merece continuar mandando na cidade.

O deputado federal Marcos Aurélio, do MDB, que apoia a candidatura de Dr. Pessoa para prefeito de Teresina nas eleições deste mês, já havia dito que as obras de asfalto que estão sendo realizadas às pressas pela prefeitura em centenas de ruas da cidade são puramente eleitoreiras e não obedecem a nenhum critério sério de engenharia.

O presidente da Assembleia Legislativa do Piauí, deputado Themístocles Filho, do MDB, um dos incentivadores da campanha de Dr. Pessoa, também já denunciou essa tentativa do PSDB de garantir a eleição deste ano. “Essas obras sinalizam medo dos tucanos”, disse.

O Cidade Jardim, por exemplo, que é um dos bairros mais populosos de Teresina, foi um dos que mais tiveram asfalto nas últimas semanas. Mas com as chuvas, pedaços de asfalto foram levados pelas águas, denunciando a má qualidade do produto e a inexistência de um projeto de engenharia. O asfalto, na verdade, piorou a situação dos moradores, pela simples falta de drenagem, com as águas invadindo as casas e deixando as ruas intrafegáveis.

Vídeos estão viralizando pelas redes sociais mostrando a realidade dessas ditas obras. O que seria uma tentativa de agregar votos para a eleição do candidato Kleber Montezuma, candidato oficial da prefeitura de Teresina pelo PSDB, o derramamento de asfalto acaba por se transformar em uma arma contra o tucano.

Os próprios equipamentos públicos construídos pela prefeitura de Teresina, ao invés de serem um espaço seguro para a população, terminam se transformando em outra ameaça em decorrência das chuvas, como ocorreu na manhã desta terça-feira (03) na Unidade Básica de Saúde (UBS) “Carlos Alberto Cordeiro”, no bairro Dirceu II, zona Sudeste da cidade.

De acordo com o portal Cidade Verde, os profissionais e pacientes que estavam no local foram surpreendidos com a queda de parte do telhado durante a chuva que caiu no final da manhã desta terça-feira (03). Por conta da situação, as salas do prédio acabaram ficando alagadas e equipamentos eletrônicos precisaram ser retirados às pressas para não serem danificados.

Partes do forro de gesso ficaram espalhadas pela Unidade Básica de Saúde. Funcionários iniciaram a limpeza com ajuda de rodos e vassouras.

E a situação é dramática em vários bairros da cidade. No São João, na rua Padre José do Rego, um buraco abriu no meio da rua e ‘engoliu’ os pneus de um carro. Uma viatura do Samu ficou presa no meio de uma avenida na zona Sul. Uma oficina na avenida Presidente Kennedy foi invadida pelas águas das chuvas também. Na Vila Ferroviária, no bairro Ilhotas, zona Sul, os moradores tiveram transtornos com as águas entrando nas casas.

São velhos problemas que se eternizam em Teresina, como quer se eternizar no poder o grupo tucano no Palácio da Cidade. Bem ou mal, as chuvas estão aí para mostrar para o teresinense que é preciso que a cidade venha a se transformar em uma capital sustentável, inteligente, uma metrópole onde o povo possa se sentir seguro. Atualmente, basta uma chuva para desnudar antigos problemas de transtorno que se repetem todos os anos.

Redação