Destaques Geral Local Política

Casa Reencontro comemora sete anos acolhendo crianças sob medida de proteção

A Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), por meio da Gerência de Proteção Social Especial (GPSE), comemorou nessa quarta-feira, (06), o aniversário de fundação da Casa de Acolhimento Reencontro. Atualmente, a unidade atende 23 crianças, de ambos os sexos, que estão sob medidas de proteção. A comemoração reuniu as crianças acolhidas e os servidores da Casa Reencontro, com lanche e música, seguindo todos os protocolos de segurança contra à Covid-19.

De acordo com a gerente da Casa de Acolhimento Reencontro, Lucimara Paulo, um dos momentos mais desafiadores destes sete anos foi manter as atividades com as crianças assistidas no período de pandemia.

“Durante este período de pandemia, tem sido bem difícil, diante da necessidade do distanciamento. Isso atrapalhou as atividades lúdicas, porque as crianças ficaram bastante isoladas, mas estamos voltando aos poucos. Mesmo no período mais intenso, a gente conseguiu fazer algumas atividades, dentro do possível. Nos articulamos de uma maneira, para estas atividades estarem acontecendo, sem deixar de lado o emocional destas crianças”, esclareceu.

Para a assistente social da Casa de Acolhimento Reencontro, Lorena Madeira, os sete anos representam um avanço na Política de Assistência Social de Teresina.

“Até então, não existia uma casa de acolhimento com este perfil. São crianças do município de Teresina, vítimas de violação de direitos e são acolhidas numa tentativa de garantirmos a medida protetiva. O tempo que elas ficam acolhidas, a gente faz o serviço de buscar a reintegração familiar, sanando as vulnerabilidades encontradas e na última hipótese, são colocadas para adoção”, pontuou.

A Casa de Acolhimento Reencontro está localizada na Rua Professor Odilo Ramos, no Bairro Morada do Sol, e está com o novo número para contato: (86) 3212-1861.

ENVOLVIMENTO EMOCIONAL

A assistente social, Lorena Madeira, ressalta que a dedicação que a equipe da Casa de Acolhimento Reencontro disponibiliza às crianças fortalece e melhora as atividades desenvolvidas.

“Não tem como não se emocionar. Porque é um trabalho que tem sim, um desgaste emocional, mas ao mesmo tempo é fortalecedor. Cada criança que chega aqui tem uma história de vida e a gente observa que não é tão simples. É um trabalho desafiador e requer um suporte emocional muito grande de toda a equipe e nos fortalecemos com o nosso amor e dedicação por estas crianças”, ressaltou.

Jogo do Poder